NOTÍCIAS
24/03/2018 13:25 -03 | Atualizado 24/03/2018 19:16 -03

Confronto entre PM e moradores da Rocinha deixa mortos no Rio

Operação policial em comunidade da Zona Sul começou na manhã deste sábado (24).

Divulgação/PMERJ
Operação da Polícia Militar na Rocinha deixou ao menos 8 mortos.

Um confronto entre policiais militantes e moradores da Rocinha, comunidade da Zona Sul do Rio de Janeiro, deixou ao menos 8 mortos na manhã deste sábado (24).

A PM informou em nota oficial que 6 pessoas que foram baleadas e mortas seriam criminosos, estavam armados e entraram em confronto com agentes do Batalhão de Choque.

No fim da tarde a Polícia Civil informou que o total de mortos foi de 8 pessoas: 6 pela manhã e duas no início da tarde, sendo que as últimas foream transportadas por moradores até a passarela que liga a comunidade à Vila Olímpica. Ainda não se sabe se essas duas mortes estão ligadas ao confronto entre PMs e criminosos.

Segundo nota publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, todas as vítimas foram socorridas e levadas ao hospital Miguel Couto, onde já chegaram mortas. A Secretaria Municipal de Saúde confirmou os óbitos.

Os confrontos aconteceram em pelo menos dois pontos da comunidade: na Rua 2 e em um local popularmente chamado de Roupa Suja.

O Batalhão de Choque da Polícia Militar divulgou que a ação resultou na apreensão de um fuzil, duas granadas e seis pistolas.

Já o Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro emitiu nota oficial orientando os motoristas para que evitem circular pela Autoestrada Lagoa-Barra, que não chegou a ser fechada, mas pode ter bloqueios a qualquer momento.

Indignação

Em nota publicada pelo portal G1, Márcio Duarte de Oliveira, pai de uma das vítimas baleadas pela PM, alegou que o filho, Matheus da Silva Duarte, estava em um baile funk e não tinha qualquer ligação com a criminalidade.

"Mataram meu filho. Tinha 19 anos. Sou cobrador de van. Eles já chegaram esculachando morador, dando tapa na cara. Mataram meu filho com um tiro nas costas", afirmou.

A PM não respondeu até o momento sobre as declarações do pai de uma das vítimas do fogo cruzado que apavorou os moradores desde o início da manhã deste sábado.