COMIDA
14/03/2018 16:30 -03 | Atualizado 14/03/2018 16:31 -03

Sensibilidade nos dentes: Alimentos não são principais causadores, mas podem agravar problema de saúde

Veja alimentos que podem agravar sua sensibilidade dentária.

Antes de falar dos causadores, é preciso entender como ocorre a sensibilidade nos dentes.
RyanKing999 via Getty Images
Antes de falar dos causadores, é preciso entender como ocorre a sensibilidade nos dentes.

Três em cada 10 pessoas no Brasil sofrem de sensibilidade dentária. A desagradável dor no dente ao comer algo muito gelado, quente, doce ou ácido é o principal problema bucal do Brasil -- e seus causadores são diversos.

Antes de falar dos causadores, é preciso entender como ocorre a sensibilidade nos dentes. "Devido à erosão do esmalte do dente ou retração gengival, ocorre a exposição da parte interna da estrutura do dente, que é a dentina e seus túbulos dentinários, região extremamente sensível dos dentes", explica a dentista Helenice Biancalana, diretora do Departamento de Prevenção da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas (APCD).

A erosão do esmalte do dente ou retração gengival pode acontecer por diversos motivos, como traumas durante a escovação, cáries, e até mesmo por problemas sistêmicos, como refluxo gástrico, bulimia e outras condições que expõem os dentes a ácidos presentes no estômago. "A sensibilidade está sempre atrelada a algum problema que está acontecendo, não é algo fisiológico, natural", ponderou a dentista Thais Azevedo, da GSK, farmacêutica dona da marca de creme dental Sensodyne.

Segundo a profissional, o problema bucal não é atrelado à idade, muito menos à genética. O que acontece é que, com o passar dos anos, ocorrem diversos "desequilíbrios" em nossa boca, que culminam na erosão do esmalte e na retração gengival. "Pode ser uma série de hábitos, como escovação com muita força, mastigar de só um lado, uso de aparelho. Seria impossível passar a vida inteira sem qualquer um destes desequilíbrios."

E o que nossa alimentação tem a ver com isso?

Apesar de não ser a maior causadora da sensibilidade, a alimentação pode agravar o problema. De acordo com Biancalana, ingerir alimentos ou líquidos que possuem pH muito baixo (alimentos ácidos) podem provocar o desgaste na superfície do esmalte, muitas vezes chegando até a dentina. "A orientação é ter controle na dieta alimentar e não ingerir estes alimentos com alta frequência", sugeriu.

Outra orientação é evitar escovar os dentes imediatamente após refeições. "É melhor esperar pelo menos 20 minutos para que o pH bucal fique menos ácido, evitando o desgaste dos dentes (erosão), muitas vezes causado pelo atrito da escova ao dente em meio ácido", recomendou a dentista.

A diretora do Departamento de Prevenção da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas citou alguns alimentos ácidos que podem agravar a situação, veja:

1. Cerveja (pH 4,0 – 5,0)

2. Tomate (pH 3,7 – 4,7)

3. Maçã (pH 3,8)

4. Catchup (pH 3,7)

5. Refrigerante (pH 2,7)

6. Vinagre (pH 2,4 – pH 3,3)

7. Café (pH 2,4 – 3,3)

8. Limão (pH 2,2)

Como evitar o problema?

Cerca de 30% da população brasileira sofre de sensibilidade dentária, de acordo com o último estudo encomendado pela Sensodyne. Para amenizar este quadro, dentistas sugerem controle na escovação, sempre com escovas de cerdas macias e extra macias e cremes dentais menos agressivos e com flúor e nunca realizar as conhecidas "misturinhas" caseiras que prometem clarear os dentes com produtos domésticos, como o bicarbonato.

Além disso, é preciso entender a principal causa do problema, que pode ser uma simples cárie, bruxismo ou mesmo emocional.

"O que muitas vezes acontece é que as pessoas vão deixando pra lá, acham que é normal, apenas evitam comer alimentos que desencadeiam a hipersensibilidade, mas não tratam. E isso é um grande problema", alerta Thais Azevedo. "Em alguns casos, a dor só desaparece após muitos anos."

Então, caso você sofra de sensibilidade dentária, a melhor saída é procurar um dentista. "É fundamental a visita periódica ao cirurgião-dentista que poderá diagnosticar e indicar o melhor tratamento para prevenção da erosão dentária e retrações gengivais", finaliza Helenice Biancalana, diretora do Departamento de Prevenção da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas.