COMPORTAMENTO
11/03/2018 07:54 -03 | Atualizado 12/03/2018 08:23 -03

O guia para você deixar de lado os produtos de limpeza poluentes e adotar versões 'verdes'

Relatório recente deixou claro a influência dos produtos de limpeza em doenças respiratórias.

No Brasil, marcas optam por ingredientes vegetais na composição de produtos de limpeza.
Getty Images/iStockphoto
No Brasil, marcas optam por ingredientes vegetais na composição de produtos de limpeza.

Você está querendo trocar os seus produtos de limpeza convencionais por aqueles chamados produtos de limpeza "verdes", mas não sabe por onde começar? Você não está sozinho.

Decidir fazer uma transição para produtos mais sustentáveis pode te trazer algumas dúvidas. E é por isso que preparamos um mini-guia para quem quer conhecer um pouco mais da ideia de green cleaning (limpeza verde, em tradução literal).

1º passo: Por que você deveria trocar os produtos de limpeza tradicionais para os chamados "verdes"?

Diversos estudos apontam para os efeitos nocivos à saúde dos produtos químicos que compõem os produtos de limpeza tradicionais. Um relatório publicado em fevereiro na revista Science Mag demonstrou que as emissões de produtos comumente usados em nossas casas, como tintas, vernizes e produtos de limpeza, já contribuem tanto para a poluição atmosférica urbana quanto os gases emitidos pelos automóveis.

Isso porque esses produtos são feitos de compostos orgânicos voláteis. Eles estão em estado gasoso no ambiente e, por meio de reações químicas na atmosfera, são agrupados às partículas de poluentes PM2,5. Essas partículas suspensas são minúsculas e, quando respiradas por nós, causam ferimentos nos nossos pulmões, podendo desencadear ou até mesmo agravar doenças respiratórias.

Problemas de alergia e de pele também são comuns entre as pessoas que têm mais contato com esses produtos, já que os tradicionais são desenvolvidos com base em ingredientes da indústria petroquímica. Para que o desinfetante chegue ao seu estado final, por exemplo, são necessários diversos processos químicos e a adição de elementos sintéticos em sua lista de ingredientes. Quando esses compostos entram em contato com organismos mais sensíveis, como os de bebês e até mesmo de animais, é provável que uma reação alérgica possa acontecer.

KucherAV via Getty Images

2º passo: Entenda a diferença do green cleaning

A principal diferença dos produtos de limpeza "verdes" para os tradicionais é que eles são feitos à base de ingredientes vegetais. Não apenas um dos componentes do detergente, por exemplo, é biodegradável, mas toda a cadeia de elementos que compõem o produto. Por isso, ao entrar em contato com a água, eles não se tornam poluentes. Em sua composição, os green cleanings costumam usar óleos essenciais, vegetais e ervas.

3º passo: Procure marcas que produzem produtos sérios e certificados

No Brasil, o mercado de produtos de limpeza "verdes" ainda é pequeno. De acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira, apenas 6 empresas no País possuem o selo SVB para produto de limpeza. Quando se trata de empresas alimentícias, por exemplo, o País já tem mais de 450 certificadas. Na área de cosméticos esse número também tem crescido e ultrapassa as 40 empresas com certificações.

"O nosso processo de certificação leva em consideração todos os ingredientes que compõem o produto final. Checamos todos os ingredientes para ver se nenhum deles teve envolvimento com produtos de origem animal no processo produtivo, ou se houve o insumo de produtos sintéticos animais ou se algum deles já foi testado em animais. Esse rastreio de cadeia é muito importante. No Brasil temos poucas empresas trabalhando com produtos de higiene e limpeza e que se atentam para essas questões. A maioria das pessoas busca soluções individuais e faz experimentos em casas. Outra grande parcela da população utiliza as marcas tradicionais e não se questiona por que essas marcas ainda não se atentaram para uma certificação de um processo de produção mais limpo", explica Carol Murua, gerente de certificação do selo vegano da SVB, em entrevista ao HuffPost Brasil.

Getty Images

4º passo: Conheça algumas marcas que estão dispostas a trocar os ingredientes de origem petroquímica para outros biodegradáveis

No Brasil a BioWash é uma das marcas que não utiliza ingredientes petroquímicos em sua composição. A linha sustentável da empresa espanhola foi lançada em 2006, mas foi nos últimos 3 anos que tem conquistado maior público, argumenta Becky Weltzien, diretora da empresa, em entrevista ao HuffPost Brasil.

"As pessoas não costumam pensar sobre como é feito um produto de limpeza. A partir do momento que elas começam a desenvolver uma reação alérgica, elas passam a se questionar sobre isso. A maioria dos nossos clientes nos conheceu depois de enfrentar problemas desse tipo", explica.

O timing também foi importante para a Positiva. O empresário Alex Seibel fundou a marca após a experiência de ter trazido as franquias da The Body Shop para o Brasil. A marca de cosméticos inglesa é conhecida por sua produção livre de testes em animais e pela escolha de produtos nacionais para a composição das receitas. Seibel aplicou os mesmos princípios na Positiva.

"Além da questão ambiental na hora de escolher os produtos de limpeza, há uma questão social. Todos os ingredientes utilizados em meus produtos são produzidos no Brasil por cooperativas ou pequenos agricultores. Você vai ter um olhar de impacto em todas as esferas", compartilha Seibel, em entrevista ao HuffPost Brasil.

Há 3 anos no mercado, a Bioz também opta por ingredientes mais eficientes e que têm menor impacto no meio ambiente, como o óleo de palma, a laranja, a erva doce e a verbena.

As três marcas oferecem opções de lava-louças, desengordurantes, produtos de limpeza multi-uso e outros focados para a lavanderia. Os produtos são vendidos on-line e em alguns pontos de venda espalhados em cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Espírito Santo e Minas Gerais.

Os preços, contudo, ainda são muito mais caros do que os produtos tradicionais. Enquanto um detergente de uma marca tradicional pode custar menos de R$2, os da linha green cleaning chegam a custar R$15.

"No Brasil ainda é difícil baratear o custo de produção. A gente não tem isenção tributária e a minha matéria-prima muitas vezes precisa ser importada. O acesso a esses distribuidores também é restrito, então eles acabam ditando o preço. Obviamente quando o mercado crescer e a gente aumentar o número de vendas, isso dilui no preço fixo da indústria", explica Becky Weltzien, da BioWash.

Para ela, o uso de produtos sustentáveis também no momento de limpeza das casas não é uma tendência de moda, mas uma mudança de comportamento dos consumidores.

"As pessoas se deram conta de que é um caminho sem volta, não é uma modinha. É uma mudança de comportamento do consumidor e o brasileiro é muito empreendedor. Por isso vemos novos negócios sustentáveis não só nesse segmento, mas em áreas de cosmético e alimentação, por exemplo. As pessoas buscam informação e querem se conscientizar cada vez mais."

5º passo: Você não precisa trocar todos os produtos de sua casa de uma só vez

Não adianta pensar que você vai ter uma rotina mais sustentável e abrir mão de todos os produtos de limpeza convencionais da noite para o dia. Você vai ter dúvidas do que deve usar no banheiro, no lava louças e como amaciar as suas roupas. Tenha calma. Um passo de cada vez.

Extra: Com poucos ingredientes você pode deixar a sua casa cheirosa e limpa, sem poluir o meio ambiente

Adicione ao seu carrinho de compras álcool, vinagre branco, bicarbonato de sódio, óleo de eucalipto e essências naturais. Esse combo te permitirá uma boa faxina.

O álcool é um coringa porque dissolve muitas substâncias, facilita na remoção da sujeira e tem alto poder desinfetante.

O vinagre branco é um ácido mais fraco que te permite esterilizar vasos sanitários e pias. Você pode usá-lo como substituto do desinfetante e até do amaciante de roupas (basta adicionar 2 colheres de vinagre em 1 litro de água).

Depois, o bicarbonato é ótimo para usar em combinações até mesmo com o vinagre. Ele é levemente abrasivo, então consegue polir sem deixar marcas nos móveis e objetos.

Por fim, os óleos essenciais são ótimos para dar um cheirinho especial ao ambiente e também podem ser usados como desinfetantes.

Photo galleryDrosera magnifica, a planta carnívora mineira descoberta por meio do Facebook See Gallery