COMIDA
05/03/2018 09:27 -03 | Atualizado 05/03/2018 11:23 -03

PF cumpre mandados de prisão em nova fase da Operação Carne Fraca

Estão sendo cumpridas 91 ordens judiciais no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e São Paulo.

São 11 mandados de prisão temporária, 27 de condução coercitiva e 53 de busca e apreensão.
Bloomberg via Getty Images
São 11 mandados de prisão temporária, 27 de condução coercitiva e 53 de busca e apreensão.

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã de hoje (5), a 3ª fase da Operação Carne Fraca, denominada Operação Trapaça, que tem como alvo das investigações laboratórios credenciados no Ministério da Agricultura.

Estão sendo cumpridas 91 ordens judiciais no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e São Paulo. São 11 mandados de prisão temporária, 27 de condução coercitiva e 53 de busca e apreensão.

O Grupo BRF, do setor de carne processada, foi um dos alvos da operação. De acordo com a Folha de S. Paulo, o ex-presidente do grupo, Pedro de Andrade Faria, foi preso nesta manhã pela PF. Ele teve mandado de prisão temporária decretado pela Justiça Federal do Paraná e será transferido para Curitiba.

As investigações apontam que alguns setores e laboratórios credenciados junto ao Ministério da Agricultura fraudavam resultados de exames em amostras.

"As investigações demonstraram que cinco laboratórios credenciados junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e setores de análises de determinado grupo empresarial fraudavam resultados de exames em amostras de seu processo industrial, informando ao Serviço de Inspeção Federal dados fictícios em laudos e planilhas técnicos", diz a nota divulgada pela PF.

As fraudes tinham como objetivo impedir que o Ministério da Agricultura fiscalizasse a qualidade do processo industrial da BRF. A companhia não quis se pronunciar sobre o assunto.

Segundo a PF, cerca de 270 policiais federais e 21 auditores fiscais federais agropecuários participam dos trabalhos "como resultado de ação coordenada entre a PF e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O nome da operação - Trapaça - é uma referência ao sistema de fraudes operadas por um "grupo empresarial do ramo alimentício e por laboratórios de análises de alimentos a ele vinculados".

(Com informações da Agência Brasil).