MULHERES
05/03/2018 01:36 -03 | Atualizado 05/03/2018 02:28 -03

Casey Affleck fica de fora de apresentação de Oscar por denúncias de assédio

Ator deveria apresentar prêmio de Melhor Atriz, que foi entregue por Jennifer Lawrence e Jodie Foster.

Casey Affleck venceu Oscar de Melhor Ator em 2017 por "Manchester à Beira Mar".
Lucas Jackson / Reuters
Casey Affleck venceu Oscar de Melhor Ator em 2017 por "Manchester à Beira Mar".

Em uma demonstração de que não poderia se omitir diante da torrente de acusações de assédio sexual em Hollywood, a Academia fez simbólicas substituições nas categorias de Melhor Atriz e Melhor Ator neste ano. Jennifer Lawrence e Jodie Foster, ambas vencedoras do prêmio de atriz no passado, apresentaram a categoria de Melhor Atriz no lugar de Casey Affleck.

Vencedor no prêmio em 2017, Affleck foi acusado de assediar sexualmente mulheres.Sua ausência é a quebra de uma tradição de 90 anos. Geralmente, o vencedor do prêmio na edição anterior entrega a estatueta para a atriz escolhida na cerimônia do ano seguinte.

Duas mulheres - uma produtora e uma diretora de fotografia - que trabalharam com Affleck no filme Eu ainda estou aqui fizeram denúncias acusando-o de assédio sexual.

A produtora Amanda White abriu um processo pedindo US$ 2 milhões de indenização e a diretora de fotografia Magdalena Górka processou o ator em US$ 2,25 milhões.

Em março do ano passado, Casey Affleck quebrou o silêncio e falou das denúncias. "Eu acredito que qualquer tipo de maus-tratos a qualquer pessoa por qualquer motivo seja inaceitável e abominável e que todos merecem ser tratados com respeito no local de trabalho e em qualquer outro lugar", disse.

Outros dois símbolos do empoderamento feminino, Jane Fonda e Helen Mirren — e também duas atrizes icônicas — apresentaram a categoria de Melhor Ator.

O apresentador da noite, Jimmy Kimmel, em seu monólogo de abertura da cerimônia, fez piadas que foram verdadeiras pancadas no nervo exposto da cultura de machismo em Hollywood.

"Se pudermos parar o assédio aqui, as mulheres o enfrentarão em todos os outros lugares a que forem", ironizou.

Ainda na mesma cerimônia, três mulheres que foram assediadas e/ou estupradas pelo cineasta Harvey Weinstein, Ashley Judd, Salma Hayek e Annabella Sciorra, fizeram um manifesto em celebração ao momento de mudança que o cinema vive, inclusive de melhoria da representatividade de minorias nas telas.