COMIDA
02/03/2018 19:14 -03 | Atualizado 02/03/2018 19:14 -03

Dieta 'low carb' ou 'low fat': Qual funciona melhor?

Os pesquisadores aconselham sobre o que você deveria comer.

Há décadas duas dietas são campeãs de audiência quando se trata de perder peso. Se você já fez regime, é provável que tenha seguido um programa de baixas calorias (Atkins, por exemplo) ou de pouca gordura. Você também deve conhecer quem tenha perdido peso com uma dessas duas alternativas, ou então quem não emagreceu nem um pouco.

A variação na perda de peso há muito confunde os cientistas. Uma equipe da Escola de Medicina da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, tentou descobrir qual é a melhor dieta – pouca gordura ou poucos carboidratos – e conclusão foi: nenhuma das duas. Na realidade, você não deveria prestar atenção no regime, mas sim no seu corpo.

"Todo mundo conhece histórias de um tipo de regime que funcionou para uma pessoa e não para outra", disse Christopher Gardener, professor de medicina e autor do estudo. "É porque somos todos diferentes, e estamos só começando a entender os motivos para esses resultados diversos. Talvez não devamos nos perguntar qual é a melhor dieta, mas sim qual é a melhor dieta para quem?"

ilbusca via Getty Images

Pesquisas passadas mostram que uma série de fatores, incluindo genética, níveis de insulina e microorganismos encontrados no corpo podem afetar a perda de peso. O novo estudo tentou determinar se esses fatores incentivariam se certos corpos teriam melhor resultado com dietas de baixo teor de gordura ou de carboidratos.

Os pesquisadores recrutaram 609 participantes, de 18 a 50 anos e divididos entre homens e mulheres. Eles fizeram dietas de baixo teor de gordura e de carboidratos durante um ano.

Nos primeiros dois meses do estudo, os participantes tiveram de limitar o consumo de carboidratos ou gordura a apenas 20 gramas diárias – mais ou menos uma fatia e meia de pão de forma integral ou um punhado generoso de nozes.

Depois, eles foram instruídos a fazer ajustes incrementais conforme o necessário, acrescentando gradualmente de 5 a 15 gramas de gordura ou carboidratos com o objetivo de encontrar um equilíbrio que pudesse ser mantido para o resto de suas vidas.

Ao final de um ano, as pessoas que fizeram a dieta de restrição de gorduras relataram um consumo médio de 57 gramas por dia, enquanto o grupo dos carboidratos consumiu cerca de 132 gramas diariamente, em média. É importante notar que o consumo médio de gordura dos participantes antes do início do estudo era de cerca de 87 gramas de gordura e de cerca de 247 gramas de carboidratos por dia.

"Nos certificamos de dizer para todos que, em ambas as dietas, era importante comer comidas naturais e evitar alimentos processados ou porcarias", afirmou Gardener.

"Também aconselhamos a fazer a dieta de modo não sentir muita fome ou privação – do contrário, é difícil manter o programa no longo prazo. Queríamos que eles escolhessem um plano que pudesse potencialmente ser seguido para a vida inteira, em vez de um regime que seria abandonado ao fim do estudo."

Ao longo do ano, os pesquisadores monitoraram o progresso dos participantes, registrando peso, composição corporal, níveis basais de insulina e consumo diário de gordura ou carboidratos.

No final do estudo, os participantes tinham perdido 6 quilos em média. Ainda assim, houve enorme variação entre eles. Alguns perderam quase 30 quilos, outros engordaram até 10. Ao contrário do que se suspeitava, não houve associações entre perda de peso e padrões genotípicos ou níveis de insulina.

A principal conclusão do estudo é que a estratégia para perda de peso – seja restringindo calorias ou gordura – é muito parecida. Gardener recomenda comer menos açúcar, menos farinha refinada e a maior quantidade possível de vegetais.

A equipe vai continuar analisando os dados coletados para tentar entender o que está por trás da perda de peso de cada indivíduo. "A esperança é encontrar uma espécie de assinatura", disse ele. "Ainda acredito que existe a oportunidade de descobrir algum tipo de personalização [para as dietas] – agora só precisamos juntas as peças do quebra-cabeças."

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.