COMIDA
24/01/2018 17:50 -02 | Atualizado 24/01/2018 17:50 -02

7 comidas que em São Paulo são BEM diferentes do resto do Brasil

Taca purê no dogão, SIM!

Montagem/Reprodução
Sim, temos purê no cachorro-quente, pizza de calabresa sem queijo e bauru de rosbife.

No aniversário de 464 anos de São Paulo, aqui vai uma verdade: um bom cachorro-quente tem que ter purê, SIM.

Polêmico, não é?

Quer ver um paulistano se exaltar? fala das excentricidades de alguns pratos que se come em São Paulo, mas são bem diferentes do resto do Brasil.

Um bom paulistano vai jurar de pé junto que tais versões paulistas, como pizza de calabresa sem queijo ou caldo de cana com limão, são certamente as melhores.

Bom, se são as melhores versões não sabemos. Mas elencamos os pratos que são diferentões pelo Brasil e bem normais em SP, veja:

Caldo de cana com gengibre e limão

Dia de feira é comemorado por muitos brasileiros. E não é por causa dos legumes, vegetais, frutas e peixes fresquinhos. O que chama atenção do pessoal é a combinação perfeita do pastel com caldo de cana. Aqui em São Paulo, ela vem turbinada com dois ingredientes: o caldo de cana vem com limão espremido e gengibre.

Se vocês não entendem o motivo, explicamos: o limão e o gengibre dão uma "quebrada" no sabor extremamente doce da cana de açúcar.

Pipoca com provolone

Não é em todo lugar que você vai encontrar, mas é sempre uma surpresa agradável achar um pipoqueiro que venda pipoca com umas bolinhas fritas do queijo provolone na mistura. O sabor forte do provolone dá aquele 'toque" a mais na tradicional pipoquinha.

Sanduíche de mortadela

Sanduíche de mortadela existe em qualquer lugar do Brasil. O difícil é encontrar o sanduíche gigante que é vendido no Mercado Municipal de São Paulo, o Mercadão. Além das dezenas fatias de mortadela, você pode incrementar seu lanchinho com diversos queijos. Uma marca registrada de São Paulo!

Milho verde cortado na tigela

Depois de anos sem comer milho na rua, SP me vem com uma dessas... #aparelho #milhocommanteiga #assimpode

Uma publicação compartilhada por Daniela Dias (@dani_days) em

Aquele cheiro de milho verde cozido nos persegue em frente ao metrô, ponto de ônibus e terminais Brasil afora. Mas só em São Paulo você vai encontrá-lo cortadinho, servido em uma tigela de plástico com manteiga e sal. Mais prático, saboroso.

Pizza de calabresa SEM queijo

Sim, aqui o queijo mussarela não é unanimidade em todos os sabores de pizzas. Muito menos na pizza de calabresa, que é servida com molho de tomate, calabresa fatiada e rodelas de cebola. Se quiserem queijo, peçam borda recheada. Aceitem.

Cachorro-quente com purê

O purê no cachorro quente é polêmico. Paulistanos vão falar que ele é o toque final do lanche, e o resto do Brasil vai discordar. Mas, como é o aniversário de São Paulo, hoje está liberado purê em tudo, SIM.

Pão na chapa com requeijão na saída ou entrada

A combinação pão na chapa e pingado se tornou tão tradicional na capital paulistana que criaram até a versão turbinada: o requeijão passado no pão na "entrada" da chapa, para vir com uma crosta crocante, ou "na saída", antes do pão ser servido.

Bauru de rosbife

Vc já experimentou um sanduíche com esse queijo escorrendo? O Famoso Bauru do Ponto Chic é assim desde 1937!

Uma publicação compartilhada por Ponto Chic (@pontochicsp) em

O bauru legítimo foi criado em 1937, quando um estudando da Faculdade De Direito Do Largo De São Francisco (USP) pediu ao chapeiro do Ponto Chic um lanche com pão francês sem miolo, rosbife, queijo derretido, tomate e pepino em conserva. Seu nome era Casimiro Pinto Neto, mas todos o chamavam de "Bauru", sua cidade natal. Seus amigos aprovaram o lanche e pediram o mesmo. O boca a boca entre os estudantes foi grande e os pedidos pelo "lanche do Bauru" só aumentavam. O sanduíche, então, entrou no cardápio da casa e virou sucesso de vendas desde então.

Por ser mais caro e ter maior tempo de preparação, o rosbife foi substituído pelo presunto e assim ganhou "a cara" do bauru conhecido em todo o Brasil.