COMPORTAMENTO
10/01/2018 12:13 -02 | Atualizado 11/01/2018 15:16 -02

Guia com dicas práticas para cuidar de plantas que não precisam de sol

Conheça as espécies resistentes e que precisam de poucos cuidados.

Decorar a casa com plantas é um processo acolhedor e mais barato do que comprar diversos móveis, por exemplo. Afinal, parte da qualidade de vida em um ambiente urbano passa pela nossa casa. Como ela é e como cuidamos de cada cantinho. Ao cultivar uma "mini-floresta", você pode escolher as espécies que têm mais a ver com a sua personalidade e o seu estilo.

Mas por onde começar? Como escolher as melhores plantas? E como devo cuidar de cada uma delas? O HuffPost Brasil preparou um mini-guia com dicas básicas para quem gostaria de inserir um pouco de verde em meio à rotina.

Rotina de cuidado e bem-estar

Além de deixar a casa mais bonita e fresca, as "mini-florestas" urbanas fazem parte de um ritual de cuidado e responsabilidade que vão melhorar até mesmo o seu humor, defende Renata Canin, sócia da Botanista, espaço dedicado ao cultivo e comércio de plantas.

"Propomos uma reconexão com a sua essência por meio do cuidado das plantas. Isso melhora a qualidade de vida", explica Canin em entrevista ao HuffPost Brasil.

Divulgação/Botanista
Plantas que não precisam de sol para decorar o seu apartamento.

O mais importante para isso é entender a sua disponibilidade, já que ter uma florestinha em casa exige tempo e dedicação. Você também precisa conhecer o espaço da casa que você gostaria de preencher.

"Depois que você começa uma rotina com plantas, você olha para sua casa de uma outra maneira e mais sustentável. Você pode começar a trabalhar, inclusive, a sua relação com os alimentos e o adubo para a terra. Em períodos de três a quatro meses, as cascas de bananas e ovos consumidos podem se tornar excelentes nutrientes para a sua planta, por exemplo. Isso não é distante da sua realidade. Só é preciso começar de maneiras simples", compartilha Canin.

As espécies

Para quem mora em apartamento e não possui uma área externa, por exemplo, o ideal é pensar em tipos de plantas mais resistentes e que não precisem de luz direta ou cuidados intensos.

Antonio Jotta, sócio do FLO Atelier Botânico, incentiva que cada pessoa pesquise sobre o meio natural das plantas antes de adquiri-las.

"Precisamos conhecer a diferença entre as plantas tropicais, as plantas desérticas. Temos folhagens, árvores, cactus. A pessoa precisa entender da onde cada planta vem. Isso ajuda a entender onde ela vai se localizar na sua casa", explica em entrevista ao HuffPost Brasil.

Conheça algumas espécies simples de cuidar.

1. Alocásia

Divulgação/Botanista
Plantas que não precisam de sol para decorar o seu apartamento.

A alocásia precisa de cuidados simples. Regue com água dia sim, dia não e mantenha o vaso em um local que receba luz indireta.

2. Columeia-peixinho

Divulgação/Botanista
Plantas que não precisam de sol para decorar o seu apartamento.

Essa columeia gosta de luz indireta, mas não dispensa uma boa área de luminosidade. A rega pode ser feita três vezes por semana.

3. Jiboia

Divulgação/Botanista
Plantas que não precisam de sol para decorar o seu apartamento.

A jiboia precisa de água três vezes por semana e de um ambiente com luz indireta. Essa espécie é uma das preferidas dos iniciantes no cuidado de plantas por ser muito resistente e de rápido crescimento.

4- Lambari

Divulgação/Botanista
Plantas que não precisam de sol para decorar o seu apartamento.

Com folhas coloridas, a lambari é perfeita para decorar ambientes. Ela precisa de água três vezes por semana e de luz indireta.

Outras plantas, como a peperômia, marantas, pacová e costela de adão, possuem cuidados semelhantes aos descritos acima (luz indireta e água de duas a três vezes por semana) e são ótimas para decorar cantos e espaços vazios no apartamento.

"Muitas vezes, uma planta bem cuidada faz a vez de um móvel do ponto de vista de ornamentação", argumenta Renata Canin.

Ainda, as espécies de folhagens tropicais, como a filodendro, conseguem sobreviver com menos água, pois são aptas a captar a umidade do ar. Já as samambaias, apesar de comuns, são mais delicadas e necessitam manutenções constantes.

Divulgação/FLO

No verão, o termômetro é o seu dedo

O verão é uma das épocas preferidas das plantas porque elas ficam com o metabolismo mais rápido. O que se recomenda neste período é aumentar a quantidade de água por conta da evaporação.

"Mas é preciso ter cuidado. Mais água não quer dizer aumentar a quantidade de água. Significa oferecer a mesma dose de água para a planta, só que mais vezes", explica Jotta.

Por exemplo: Se a planta precisa de uma medida de água uma vez por semana, no verão ela vai precisar dessa mesma quantidade, só que duas vezes por semana.

A ideia é que a terra precise estar sempre úmida para que a planta não morra de sede, mas também não morra afogada. E para isso, o melhor termômetro será sempre o seu dedo.

"Se o vaso de terra ainda estiver úmido, não precisa molhar. Depois que a terra seca, a planta ainda aguenta alguns dias. Mas se ela passar sede, ela vai precisa de uma recuperação mais difícil ou pode morrer", conclui o botânico.

Photo galleryo mundo natural de Winnie-the-Pooh: uma caminhada pela floresta que inspirou o bosque dos cem acres See Gallery