COMPORTAMENTO
05/01/2018 19:23 -02 | Atualizado 05/01/2018 19:23 -02

O quão estamos próximos de alcançar as 6 resoluções de Ano Novo mais comuns

Ano novo, vida nova? Talvez, dizem os terapeutas.

Com 2018 em pleno andamento, é hora de levar a sério as resoluções de ano novo. Porém, não é tão simples assim quanto a gente imagina.

No espírito de definir metas alcançáveis, pedimos que terapeutas dessem suas opiniões sobre as seis das resoluções de ano novo mais comuns entre as pessoas, classificando-as com notas de 1 a 5 (1 sendo "muito alcançável" e 5 sendo "muito difícil").

Veja o que eles disseram:

Getty Images/iStockphoto
Almoço saudável no trabalho.

1. Perder peso

"Perder peso exige um entendimento razoável de nutrição e consumo de calorias. Também exige, e isso é pouco confortável, mudar a dieta e fazer exercícios – dois dos comportamentos mais básicos do ser humano (o outro é o sono) -, e isso tem de ser para sempre. Antes de ser psicólogo, trabalhei como personal trainer. Você precisa de metas estruturadas e objetivos atingíveis. Sem metas exequíveis, as pessoas vão bem por dois ou três meses, perdem um pouco de peso e depois voltam ao estilo de vida de antes – e também, ao peso de antes." Avaliação: 3 Ryan Kelly, psicólogo de Charlotte, Carolina do Norte.

www.jupiterimages.com
Organização pessoal.

2. Organizar-se

"Isso é muito possível se você começar aos poucos. A maioria das pessoas quer passar de inação a resultados imediatos, o que não é realista. Bons hábitos se constroem a passos pequenos. Se você quiser ser mais organizado, escolha algo simples, que você pode fazer cinco minutos por dia, até dominar aquela técnica. Um exemplo: tirar as roupas do chão toda noite antes de deitar na cama. Pode ser simples assim." Avaliação: 1 Amanda Stemen, terapeuta de Los Angeles, Califórnia.

Getty Images/iStockphoto
Aprenda a dizer não.

3. Aprenda a dizer "não"

"Estabelecer limites significa entender como deixar de querer agradar a todos. As pessoas muitas vezes dizem 'sim' quando na verdade não querem fazer algo, porque em nossa cultura somos recompensados por aceitar o que dizem no ambiente familiar e no trabalho. Por sorte, as pessoas estão aprendendo a cuidar de suas necessidades. Recomendo confiar em sua intuição quando algo parece certo para você e manter-se firme em sua experiência, ao mesmo tempo respondendo às necessidades dos outros. Se você está cheio de trabalho antes das férias, diga: 'Entendo que você precisa disso nesse prazo, mas também tenho férias marcadas e só vou conseguir cuidar das coisas mais urgentes. Termino quando voltar'." Avaliação: 3 Keri Carroll, terapeuta de casal em Portland, Oregon.

SolStock via Getty Images
Viajar mais.

4. Viajar mais

"Viajar é uma experiência super fácil, e você não precisa de uma viagem chique para a Indonésia como seus amigos do Instagram para fugir das pressões da vida. Seja criativo e preste atenção quando seus amigos fazem viagens curtas pela sua região. Gastando pouco, você pode passar um dia numa cidade próxima, fazendo trilhas, conhecendo lagos ou um museu diferente. Às vezes, basta pegar o carro e cair na estrada para achar algo interessante – isso em si já é uma aventura." Avaliação: 1Keri Carroll, terapeuta de casal em Portland, Oregon.

Getty Images/iStockphoto
Passe mais tempo com sua família.

5. Passar mais tempo com família e amigos

"Depois das festas de fim de ano, você pode estar farto de algumas pessoas em sua vida. Mas, se você não fizer um esforço consciente para encontrá-las em outras situações, isso só vai acontecer na época de festas, quando é quase uma obrigação. É perfeitamente possível se planejar. Comece escolhendo uma pessoa por mês para contatar, e faça planos para encontrá-la." Avaliação: 2 – Kurt Smith, terapeuta especializado em aconselhamento para homens.

pixelfit via Getty Images
Aprenda novos hobbies.

6. Aprender algo novo ou começar um hobby

"Desde que você não seja perfeccionista, é uma meta atingível. Eu diria: 'Investir tempo num novo hobby'. Aí não parece que você não progrediu apesar de estar fazendo aula de tênis uma hora por semana há três meses e ainda assim não acerta a bola metade das vezes. Também acho que tentar novos hobbies e habilidades é bom para descobrir que você não curte tanto algo que achou que iria gosta. Nesse caso, é melhor mudar para uma atividade nova." Avaliação: 3 – Marie Land, psicóloga de Washington, D.C.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.

Photo gallery A chegada de 2018 no Brasil e no mundo See Gallery