COMPORTAMENTO
25/12/2017 09:21 -02 | Atualizado 25/12/2017 09:21 -02

15 coisas estranhas que especialistas em saúde recomendaram parar de fazer em 2017

Você vai parar de fazer ou continuará?

2017 foi um ano e tanto para notícias na área da saúde.

Vimos grandes avanços em terapia genética para a leucemia, aprendemos como a indústria do açúcar enganou o público na correlação entre doces e doenças cardíacas, e a crise dos opiáceos no Canadá abriu nossos olhos para uma ameaçadora epidemia.

Mas também houve algumas... Outras coisas. Coisas mais leves, mais estranhas.

Especificamente, especialistas em saúde passaram boa parte do tempo em 2017 dizendo para que parássemos de fazer certas coisas. Algumas dessas atitudes podem parecer um pouco óbvias, enquanto outras são mais surpreendentes e completamente perturbadoras. Não há mais nada seguro neste mundo?!

Confira as 15 coisas mais estranhas que especialistas recomendaram que parássemos de fazer este ano.

1. Fazer sexo de quatro

Deagreez via Getty Images

Por quê? Poderia "quebrar" o pênis. Um pequeno estudo publicado na revista Journal of Impotence revelou que o estilo cachorrinho (de quatro) é a posição mais provável de causar fraturas durante a relação sexual heterossexual. Os pesquisadores atribuem o risco ao ângulo e "vigor".

2. Fazer selfies

AleksandarNakic via Getty Images

Por quê? Você pode pegar piolho. Inclinar-se para tirar uma foto de família ou fazer um selfie dá a oportunidade para que o piolho pule de um couro cabeludo para outro quando as cabeças de tocam, segundo o serviço de remoção de piolhos Ottawa Lice Squad, no Canadá.

3. Dormir com a porta fechada

OcusFocus via Getty Images

Por quê? Manter a porta aberta aumenta a ventilação do quarto, o que pode ajudar a obter uma boa noite de sono, dizem pesquisadores. Abrir a janela também pode ajudar.

4. Fazer sexo oral com várias pessoas

Getty Images/iStockphoto

Por quê? Um estudo publicado pela revista Annals of Oncology revelou que homens que fazem sexo oral com um alto número de parceiros aumentam seu risco de câncer de cérebro e pescoço. O risco entre homens com idade de 20 a 69 anos que fizeram o teste para detectar infecção oral pelo papiloma vírus humano (HPV) era mais do que o dobro entre aqueles que faziam sexo oral com muitos parceiros.

5. Comer muito com seu parceiro

Getty Images/iStockphoto

Por quê? A hora da refeição se tornou uma parte central dos relacionamentos, levando ao ganho de peso do casal (recém-casados engordam, em média, de 1,8 kg a 2,2 kg no primeiro ano de união), disse Catherine Hankey, nutricionista da Universidade de Glasgow, no Reino Unido. Essa tendência, aliada ao fato de uma pessoa ser menos fisicamente ativa, é problemática, acrescentou.

6. Praticar semeadura vaginal

mmpile via Getty Images

Por quê? Essa prática, na qual fluidos da vagina são aplicados em um bebê nascido por cesariana, pode contaminar o recém-nascido com bactérias potencialmente perigosas e com doenças como as infecções transmitidas sexualmente. O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas desaconselha a prática.

7. Tingir o cabelo com frequência

Getty Images/iStockphoto

Por quê? Poderia aumentar o risco de câncer de mama. Um estudo revelou que mulheres que tingem o cabelo frequentemente aumentam o risco de desenvolver câncer de mama em cerca de 14%. A presença de carcinógenos em produtos para o cabelo explicaria o maior risco.

8. Ingerir bebidas alcóolicas na frente dos filhos

NataliaDeriabina via Getty Images

Por quê? As crianças notam uma diferença no comportamento dos pais, mesmo se estes ingerem uma quantidade moderada de álcool, segundo um estudo do Reino Unido. E, como resultado, as crianças se mostram ansiosas, envergonhadas e preocupadas.

9. Tornar-se mãe na adolescência

jabejon

Por quê? Um estudo revelou que ser mãe na adolescência pode ter um impacto negativo sobre o coração. O estudo, publicado na revista Journal of the American Heart Association, mostrou que mães que deram à luz pela primeira vez antes dos 20 anos apresentavam um maior risco de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral no longo prazo.

10. Guardar os ovos na porta da geladeira

Getty Images/iStockphoto

Por quê? Os ovos ficarão expostos a mudanças repentinas de temperatura todas as vezes em que a porta for aberta e fechada, fazendo que apodreçam mais rápido, disse Vlatka Lake, especialista em armazenamento de alimentos.

11. Dizer "eu te amo" para mostrar como se sente

laflor via Getty Images

Por quê? Segundo um estudo, essa não é a melhor forma de mostrar a uma pessoa que você a ama. Pesquisadores descobriram que pequenos gestos não necessariamente românticos, como o aconchego e a compaixão, podem fazer que as pessoas se sintam mais amadas do que ouvir "eu te amo".

12. Comer alimentos onde moscas pousaram

NikiLitov via Getty Images

Por quê? Um estudo mostrou que as moscas carregam mais bactérias e doenças do que se pensava anteriormente. Moscas domésticas carregam mais de 351 tipos de bactéria, tais como salmonela e e-coli, segundo o estudo. E essas bactérias são transportadas para as superfícies onde elas pousam.

13. Comer sua placenta

mermaidb via Getty Images

Por quê? "pouco ou nenhum" benefício, segundo um estudo recente. E, em outubro deste ano, a revista American Journal of Obstetrics and Gynecology alertou que, além de não haver benefícios documentados, comer sua placenta pode, na verdade, causar danos como a potencial transmissão de sérias infecções bacterianas aos recém-nascidos.

14. Descer no escorregador com seus filhos

Peopleimages via Getty Images

Por quê? Você poderia fraturar as pernas deles. Um estudo apresentado na Conferência e Exibição Nacional da Academia Americana de Pediatria alertou que o peso dos pais escorregando atrás das crianças poderia fraturar os pequenos ossos, caso estes fiquem presos ou torcidos em um ângulo difícil.

15. Soprar suas velas de aniversário

Image Source

Por quê? Espalha bactérias sobre a cobertura. Um estudo mostrou que soprar as velas de um bolo pode aumentar o risco de espalhar bactérias pelo bolo inteiro em 1.400%.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost CA e traduzido do inglês.

5 maneiras de cultivar a felicidade