COMPORTAMENTO
13/12/2017 18:40 -02 | Atualizado 13/12/2017 18:42 -02

Isto é o que acontece com seu corpo quando você está com o coração partido

Sim, há sintomas físicos.

Existe uma razão para você se sentir esgotado e enjoado após o término de um relacionamento: um coração partido traz um custo físico para seu corpo.

Infelizmente, isso é normalmente ignorado, diz Ronald A. Alexander, um psicoterapeuta que atende na California e no Colorado, e autor de Wise Mind, Open Mind: Finding Purpose and Meaning in Times of Crisis, Loss, and Change. (Mente esperta, Mente aberta: encontrando propósito e significado em tempos de crises, perdas e mudanças.)

"Você não está sozinho se você leva para sua cama e se sente excluído do mundo", diz Alexander. "Um coração partido pode fazer a pessoa se sentir como se tivesse perdido o rumo. Chorar e soluçar é comun, assim como sentimentos de melancolia, mas há sintomas físicos também."

Lidar com um coração partido, pelo menos nos estágios iniciais, geralmente causa estragos em seu cronograma de sono. Problemas para dormir como insônia são comuns para os recém solteiros, diz Alexander. O estresse de um término pode levá-lo ao limite, interferindo nos processos biológicos que normalmente te ajudam a pegar no sono ao final do dia.

"Quando você está sofrendo com um coração partido, pode ser muito difícil de aquietar sua mente, fazê-la calar e descansar", disse ele.

Ansiedade e crescentes palpitações normalmente vêm acompanhadas de um coração partido, adicionou Alexander.

"É importante saber que a tristeza e o luto de um coração partido podem aumentar o fluxo do sistema nervoso", disse ele. "É muito comum que esse estado de hiperestimulação desencadeie sentimentos de perda de controle".

E, em alguns casos, um término de relacionamento pode desencadear sintomas de um infarto. A síndrome do coração partido - ou miocardiopatia Takotsubo, como foi inicialmente descrita na literatura médica japonesa nos anos 90 - é uma condição cardíaca temporária que parece com um infarto e normalmente é despertada por situações de estresse, como a morte de alguém querido ou o término de um relacionamento.

Harmony Reynolds, cardiologista da universidade New York University Langone Medical Center, disse ao HuffPost que a síndrome do coração partido é diagnosticada em aproximadamente 1 a 2 por cento dos pacientes que chegam ao hospital com sintomas de infarto.

Ela explicou que os sintomas, as mudanças no eletrocardiograma e os testes de sangue de pessoas com a síndrome do coração partido são similares aos dos pacientes que infartam, apesar das artérias coronárias permanecerem desobstruídas. (Em um infarto, as artérias estão obstruídas.)

"Pacientes com a síndrome do coração partido também têm anormalidades da função muscular do coração durante o episódio", disse Reynolds. "A disfunção do músculo do coração se recupera completamente em semanas ou meses nos sobreviventes. Infelizmente, pacientes que tiveram a síndrome do coração partido continuam a ter um risco elevado de doença cardíaca e eventos de infarto."

Recentemente, Reynolds conduziu um estudo de 20 anos que demonstrou que essa condição atinge mais mulheres mais velhas.

"Pelo menos 6.000 casos da síndrome ocorrem anualmente nos Estados Unidos e até 90% dos pacientes são mulheres, geralmente no período de pós-menopausa", disse ela ao HuffPost.

Como é o tratamento para a síndrome do coração partido? Jeanine Romanelli, cardiologista na clínica Lankenau Medical Center, na Pensilvânia, diz que os médicos têm que descartar outras causas potenciais, como doença cardíaca, coágulos ou obstruções, antes de diagnosticar e tratar a síndrome do coração partido.

"Nós abordamos o tratamento praticamente da mesma maneira que abordamos o tratamento para insuficiência cardíaca, utilizando anticoagulantes, inibidores ECA (enzima conversora de angiotensina) e betabloqueadores", disse ela. "E, porque 10% dos pacientes que experienciam um episódio de síndrome do coração partido têm um segundo episódio, é importante monitorarmos o progresso do paciente com ultrassom."

O que fazer se você tem os sintomas

Infelizmente, você vai precisar de mais que um pote de sorvete para te ajudar a superar seu (sua) ex. Romanelli recomenda que você pense sobre as atividades que te ajudam a desestressar e praticar mais dessas atividades.

"Técnicas não saudáveis para lidar com o problema, como beber ou comer demais, podem colocar seu coração em risco, então tente encontrar saídas que aliviem e ajudem a combater o estresse", disse ela. "Meditação, técnicas de respiração, yoga ou até mesmo dar um tempo das redes sociais para sair com um amigo ou ler um livro podem ajudar."

E, apesar de soar básico, o simples fato de lembrar-se de respirar profundamente e reparar no ambiente pode ajudar quando você sente que está perdendo o controle.

"Respire, peça ajuda para um amigo, busque aconselhamento profissional ou saia para uma caminhada", disse Alexander. "Se puder, vá andar pelas margens de algum lago; quando seu coração está partido, assistir à água passar por você pode levá-lo a perceber, inconscientemente, que tudo muda e nada permanece igual. Os corações partidos e você vão sofrer, mas tente se lembrar: Isso também passará."

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.

Photo galleryIlustradora desenha 100 coisas alegres para superar o fim de um relacionamento See Gallery