MULHERES
29/08/2017 17:45 -03 | Atualizado 29/08/2017 20:05 -03

A violência sofrida pelas mulheres em 13 relatos da #MeuMotoristaAbusador

Histórias de abusos e assédios de motoristas tanto de táxi, quanto de serviço transporte privado estão sendo compartilhadas.

"Bom, virei estatística de novo."

É assim que a escritora gaúcha Clara Averbuck, 38, inicia texto publicado em seu Facebook nesta segunda-eira (28), em que denuncia o estupro que sofreu na noite do último domingo (27), por um motorista do Uber. Em seu texto, Clara dá detalhes do ocorrido. Segundo ela, "o nojento do motorista do uber aproveitou meu estado, minha saia, minha calcinha pequena e enfiou um dedo imundo em mim, ainda pagando de que estava ajudando "a bêbada", conta.

Clara ainda afirma que escolheu expor o ocorrido "para que todas as que me lêem saibam que pode acontecer com qualquer uma, a qualquer momento" e que "justamente por ter levado tantas mulheres na delegacia é que eu sei o que me espera. estou ponderando".

Após a repercussão do caso, a Uber repudiou o ocorrido e informou que o motorista foi identificado e banido da empresa:

"A Uber repudia qualquer tipo de violência contra mulheres. O motorista parceiro foi banido e estamos à disposição das autoridades competentes para colaborar com as investigações. Acreditamos na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência contra a mulher"

Em resposta à agressão sofrida pela escritora, foi criada a #MeuMotoristaAbusador para que mulheres compartilhem histórias que já viveram ao pedir carros em aplicativos, táxis, ou até mesmo no transporte público da sua cidade.

A seguir, estão 13 relatos que mostram que as mulheres estão vulneráveis até quando acreditam que estão seguras -- ao escolher um carro ao andar sozinha na rua à noite, por exemplo.

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

11.

12.

13.