LGBT
18/06/2017 16:55 -03 | Atualizado 18/06/2017 17:21 -03

Anitta na Parada LGBT de São Paulo: 'A gente tem que ser livre para ser o que quiser'

Cantora não fez show, mas marcou presença em um dos trio elétricos do evento que acontece neste domingo (18), em São Paulo.

Anitta não fez um show na Parada LGBT neste domingo (18), como anunciado anteriormente, mas subiu no trio elétrico, deu uma palhinha e levou o público à loucura quando começou a tocar Paradinha, seu mais novo sucesso:

E aproveitou também para dar um recado:

"Onde quer que eu for, onde quer que seja o País que eu esteja, eu vou arrastar a bandeira de que a gente tem que ser livre para ser o que a gente quiser ser"

Com o lema "Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei. Todas e todos por um Estado laico", a 21ª Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros), leva cerca de 3 milhões de pessoas para a Avenida Paulista, em São Paulo.

Em entrevista à GloboNews, Anitta ainda reafirmou:

"Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Suas crenças religiosas não têm a ver com a sua orientação sexual. Acho importante que todos aprendam a respeitar as diferenças do outro e a liberdade das pessoas"

Mas não foi só Anitta que deixou sua marca, não.

A apresentadora e modelo Fernanda Lima, que é madrinha do evento deste ano, afirmou em seu discurso de abertura que "o Brasil ainda sofre muito com a violência, a discriminação, e a homofobia" e que a "a parada traz entusiasmo" para lutar ainda mais por direitos.

Ela ainda defendeu a não interferência da religião em assuntos que misturam outros direitos.

"Religião é religião, direitos dos cidadãos são muito diferentes, não podem estar atrelados a qualquer religião, que é algo pessoal"

Além de Anitta e Fernanda, Daniela Mercury, "A Rainha do Axé" e uma das grandes defensoras da causa LGBT fez um show no evento e disse, em seu Twitter:

Daniela ainda foi ovacionada quando deu um beijo em cima do trio em sua esposa, Malu Verçosa.

No total, 19 trios elétricos desfilam e espalham o colorido da diversidade em trajeto que começou na Avenida Paulista e desceu pela Rua da Consolação, chegando ao Vale do Anhangabaú.

#paradalgbt2017 #empoderamentogay #SAPA #danielamercury #rainhadoaxe #skol

A post shared by Daniela Mercury (@danielamercury) on

Leandra Leal ao lado de Fafá de Belém, Rogéria e Silvério Pereira também levou o trio elétrico de seu documentário Divinas Divas, que estreia no próximo dia 22, para a Parada LGBT:

Amadas #DivinasDivas na #ParadaSP.

A post shared by Leandra Leal (@leandraleal) on

De acordo com informações do G1, a Prefeitura de São Paulo estimou que 20% do público da Parada é composto por turistas. Segundo a administração, cerca de 600 mil pessoas de outras cidades, estados e até países comparecem ao evento e movimentam a economia da cidade em aproximadamente R$ 45 milhões.

LEIA MAIS:

- 7 fatos que tornam a 'Parada do Orgulho LGBT de São Paulo' a melhor do mundo

- Por que termos um Estado Laico é importante para LGBTs e religiosos (e ambos devem ter representatividade)

Photo gallery
10 momentos históricos da luta LGBT
See Gallery