NOTÍCIAS
08/06/2017 18:45 -03 | Atualizado 08/06/2017 18:45 -03

Após reclamações de pais, MEC retira livro que aborda incesto das escolas

“As crianças ainda não adquiriram autonomia, maturidade e senso crítico para problematizar determinados temas”, diz Ministério da Educação.

Ministério da Educação retira de escolas livro que traz conto sobre incesto.
Agência Brasil
Ministério da Educação retira de escolas livro que traz conto sobre incesto.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, informou nesta quinta-feira (8) que o livro Enquanto o sono não vem, distribuído pelo Programa de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic) para alunos de 1º, 2º e 3º anos do ensino fundamental, deverá ser recolhido das escolas públicas.

No livro, um dos contos aborda o tema incesto, considerado impróprio para crianças de seis a oito anos de idade, segundo o órgão.

De autoria do escritor José Mauro Brandt, a obra é dividida em oito contos. Um deles, A triste história de Eredegalda, fala sobre o desejo de um rei em se casar com a mais bonita de suas três filhas. Diante da negativa, a menina é castigada e acaba morrendo de sede.

A obra foi selecionada, em 2014, pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), depois de avaliada e aprovada pelo Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, instituição de notório saber e referência nas áreas de alfabetização e literatura.

Segundo o MEC, professores e pais de alunos em todo o país questionaram o conteúdo, o que levou o órgão a pedir um parecer técnico e jurídico sobre o assunto, feito pela Secretaria de Educação Básica (SEB).

No parecer, a SEB entendeu a temática abordada no livro não é adequada para crianças em idade de alfabetização. "As crianças, no ciclo de alfabetização, por serem leitores em formação e com vivências limitadas, ainda não adquiriram autonomia, maturidade e senso crítico para problematizar determinados temas com alta densidade, como é o caso da história em questão", diz nota da secretaria.

Com a decisão, os 94 mil exemplares da obra adquiridos pelo MEC serão redistribuídos para bibliotecas públicas. "A atual gestão do MEC está revendo todo o processo de seleção dos livros didáticos e paradidáticos, visando à melhoria da qualidade da educação brasileira."

Photo gallery
'Escolas de Luta': Retratos das ocupações que sacudiram o Brasil
See Gallery

LEIA MAIS:

- A internet QUER DESVER Frota em reunião com o ministro da Educação

- Mais uma vez, MEC cede à bancada religiosa em questões de gênero