ENTRETENIMENTO
04/10/2016 17:43 -03

7 motivos pelos quais Susan Sarandon é um ícone progressista

Mark Blinch / Reuters
Actress Susan Sarandon arrives on the red carpet for the film

Susan Sarandon completa 70 anos de idade nesta terça-feira (4).

A atriz nova-iorquina, só de carreira, tem 40. Ela se formou em Drama pela Catholic University of America em 1968.

Sarandon teve atuações marcantes em clássicos cults como The Rocky Horror Picture Show (1975), Fome de Viver (1983) e As Bruxas de Eastwick (1987).

Por filmes como Thelma & Louise (1991), O Óleo de Lorenzo (1992) e Os Últimos Passos de um Homem (1995) ela recebeu elogios rasgados da crítica e indicações ao Oscar – pelo último, ela venceu o prêmio, em sua quinta indicação.

Além de ser uma das principais atrizes de sua geração, Sarandon é um ícone político. Democrata, há décadas ela apoia de maneira incisiva e pública várias causas progressistas.

Para comemorar os 70 anos da atriz e seu ativismo social e político, aqui vão sete motivos para celebrá-la.

1. Tolerância.

Em dezembro de 2015, Sarandon foi à Grécia receber refugiados para conhecê-los e entender a realidade deles. Ela escreveu sobre a experiência no HuffPost.

2. Confronta o etarismo e o machismo.

Ela apareceu na cerimônia do prêmio SAG, em fevereiro deste ano, usando um decotão. Sarandon foi imediatamente criticada por isso.

A atriz respondeu a um de seus críticos – que chamou o traje usado por ela de "inapropriado para a ocasião" – com uma foto de Rocky Horror Picture Show.

3. É defensora incansável dos direitos LGBT.

Neste ano, Sarandon apoiou a candidatura de Bernie Sanders, pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, antes de Hillary Clinton tornar-se a candidata definitiva do partido.

A atriz, entretanto, tem demonstrado preocupação com o comprometimento de Clinton com os direitos LGBT.

"Não é difícil apoiar os direitos dos gays e o casamento gay quando todo mundo já apoia", comentou a artista, em um comício para Sanders em janeiro.

A própria Sarandon tem um filho, Miles, que afirma ter "gênero fluído".

4. Ela se opôs à Guerra no Iraque.

Jane Fonda, à esquerda, e Sarandon, em protesto contra a Guerra no Iraque em Washington, em 2007

"O que o Iraque fez contra nós? A resposta é nada. O Iraque não teve nada a ver com o 11 de setembro, nada a ver com a Al-Qaeda", disse a atriz em uma manifestação, como mostra o Washington Post.

5. É contra a pena de morte.

Sarandon disse à People: "Mesmo que você seja a favor da pena de morte, nos foi mostrado várias e várias vezes que o modo que nós lidamos com ela não é dissuasivo, não é justo e é extremamente caro".

"Se esse dinheiro fosse investido em outras coisas, você poderia ter uma melhores educação e infraestrutura neste país."

6. Ela apoia a legalização da maconha.

Em participação no programa de TV Watch What Happens Live, do canal Bravo

Ela comentou o assunto ao HuffPost em 2013: "Eu acredito em direitos individuais. Gostaria de ver todo mundo autorizado a fumar maconha".

"É uma perda de dinheiro encarcerar todas essas pessoas [que fumam a erva]. E completamente racista. Você prende as pessoas de classes mais pobres."

7. Ela foi a Louise de Thelma & Louise.