NOTÍCIAS
29/07/2016 08:24 -03 | Atualizado 29/07/2016 08:24 -03

O que os brasileiros estão achando das Olimpíadas?

Andre Murched/HuffPost Brasil

"Do que adianta Olimpíadas enquanto ainda tivemos situações como essa", questiona a jornalista Luciana Melo, enquanto conversamos no vão livre do Museu de Arte de São Paulo sobre a proximidade dos Jogos Olímpicos no Brasil. Servidora do Governo do Estado de São Paulo, ela aponta para um mendigo que anda na região, sem sapatos e com roupas rasgadas, em pleno inverno paulistano.

Assim como Luciana, a maioria dos entrevistados pelo HuffPost Brasil pensa que a verba gasta com as Olimpíadas poderia ser investida em outros setores, como educação e saúde. Para Isaac (que pediu para não ter o sobrenome divulgado), jovem de 20 anos que trabalha como auxiliar administrativo, o fato de o País sediar os jogos no momento de crise econômica e política que vive, chega ser quase irônico: "Não tem como você sediar um dos maiores eventos do mundo sendo que sua própria casa não está arrumada, né?!"

No total, cerca de R$ 39 bilhões serão gastos com as Olimpíadas do Rio. Cabe aos governos (federal, estadual e municipal) custearem cerca de 40% desse montante, referente a despesas com infraestrutura: tanto de obras feitas exclusivamente para os jogos quanto das chamadas "obras de legado", que vão ficar como herança para os moradores do Rio - as vias urbanas, a ampliação do metrô e a revitalização da zona portuária, por exemplo.

Desses R$ 39 bilhões, R$ 7 bilhões são para as despesas da organização dos jogos, como alimentação de atletas, pagamento de recursos humanos e campanhas de marketing, com investimento 100% privado - de patrocinadores e do próprio comitê organizador.

Mesmo com uma opinião predominantemente pessimista, também há gente que acredita que os jogos serão bons para o desenvolvimento do Brasil e da América Latina. É a opinião do colombiano Camilo Correa, que atualmente cursa doutorado na área da Física, na USP.

A professora de matemática Ana Lúcia Junqueira também torce para que tudo dê certo. Seu filho, conta ela, está trabalhando na organização do evento, no Rio de Janeiro. "A mídia só mostra a parte ruim, tem muita coisa dando certo também", comenta ela, que pretende assistir aos jogos, e torcer "para que o Brasil conquiste muitas medalhas".

Segundo uma pesquisa conduzida pelo Instituto Datafolha e divulgada no último dia 19, a rejeição aos Jogos Olímpicos do Rio dobrou de 2013 para 2016 e chegou a 50% da população brasileira.

O Datafolha apontou também que 63% dos entrevistados acreditam que o evento trará mais prejuízos do que benefícios para os brasileiros em geral, ante 38% no levantamento de 2013.