NOTÍCIAS
25/06/2016 18:52 -03

Sócio e ex-presidente da empreiteira OAS vai relatar propina para equipe de Aécio Neves, diz jornal

Aécio Neves (PSDB) novamente aparece em falas de empreiteiros.

Segundo notícia publicada pela Folha de S. Paulo neste sábado (25), o empreiteiro Léo Pinheiro, sócio e ex-presidente da OAS, vai relatar, com base em documentos, que pagou suborno a auxiliares do então governador de Minas Gerais durante a construção da Cidade Administrativa, a obra mais cara do tucano nos oito anos em que comandou o governo mineiro, entre 2003 e 2010.

A fala de Pinheiro, ainda segundo o jornal, é parte do acordo - ainda não assinado - de delação premiada que ainda é negociado com procuradores da da Operação Lava Jato de Curitiba e Brasília.

A obra da Cidade Administrativa foi orçada em R$ 949 milhões, mas acabou custando R$ 1,26 bilhão, apontam documentos do governo mineiro.

Desse total, a OAS respondeu por cerca R$ 102,1 milhões e teria pago 3% propina, equivalente a R$ 3, a dos principais auxiliares de Aécio, Oswaldo Borges da Costa Filho.

Para Aécio, declarações são 'falsas e absurdas'

Em nota à Folha, o senador Aécio Neves afirmou que desconhece os relatos feitos pelo empresário Léo Pinheiro sobre o pagamento de propina em sua administração e que considera as declarações "falsas e absurdas". Para ele, faltam provas, "sob o risco de servirem apenas a interesses outros que não os da verdade".

LEIA TAMBÉM:

- Governo de Minas fez parceria com empresa de pai de Aécio em 2010

- Gilmar Mendes autoriza abertura de segundo inquérito contra Aécio Neves

- Após insistência de Janot, Gilmar Mendes reabre investigações contra Aécio Neves