NOTÍCIAS
16/06/2016 18:11 -03

Extrema direita cristã dos EUA celebra ataque que matou 49 em Orlando: 'Deus enviou o atirador'

MIGUEL SCHINCARIOL via Getty Images
Activists carrying lit candles and flags participate in a vigil to pay tribute to the victims of the massacre occured at a gay club in Orlando, in Sao Paulo, Brazil, on June 15, 2016. / AFP / Miguel Schincariol (Photo credit should read MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images)

O ataque à boate LGBT Pulse que matou 49 pessoas e feriu mais de 50 na madrugada do último domingo (12) foi comemorado por uma parcela de cristãos de extrema direita dos Estados Unidos.

Pastores discursaram sobre o maior massacre causado por um único atirador na história dos EUA e disseram que a tragédia foi uma obra divina para eliminar "pecadores" e que "Deus enviou o atirador" para tirar suas vidas.

O pastor Roger Jimenez, da igreja batista da Verdade, de Sacramento, recebeu aplausos após dizer que achava ótimo o ataque que matou "50 sodomita"

"Então você está triste pelos 50 sodomitas que foram mortos hoje? Não... Eu acho ótimo. Eu acho que isso ajuda a sociedade. Eu acho que Orlando e a Flórida está um pouco mais segura esta noite", disse o pastor.

A igreja Batista Westboro culpou as vítimas pelo ataque e disse nas redes sociais que "Deus mandou o atirador" para matá-los.

O evangelista Dave Daubenmire sugeriu que o ataque fizesse parte de uma estratégia para promover o controle de armas nos Estados Unidos e desproteger os cristãos.

"O demônio está disposto a sacrificar alguns dos seus para chegar a nossos grandes jogadores", disse Dave em seu programa. Ele afirma que o massacre seria um plano para desarmar os cristãos conservadores, para "se curvarem ao islamismo".

No Brasil, em um mundo não tão diferente...

Por aqui, as declarações da extrema direita cristã não foram muito diferentes. O pastor Marco Feliciano mais uma veznão perdeu a oportunidade de ficar calado e comentou no Twitter que era "triste" a tentativa de grupos LGBT de usarem a tragédia em Orlando para "se promoverem". "Como se a razão deste ataque fosse apenas homofobia", ironizou o pastor.