NOTÍCIAS
26/04/2016 11:02 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Conselho de Ética recebe mais de 1 milhão de assinaturas 'fora Cunha'

ASSOCIATED PRESS
Demonstrators march holding banners that read in Portuguese

Conhecida por promover abaixo-assinados internacionais, a organização Avaaz entrega hoje aoConselho de Ética da Câmara dos Deputados uma petição com 1,3 milhão de assinaturas pela cassação do mandato do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Réu por corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Lava Jato, o peemedebista responde no Conselho por metir a CPI da Petrobras ao negar ter contas no exterior.

O documento será entregue ao presidente do colegiado, deputadoJosé Carlos Araújo (PR-BA), antes do depoimento do lobista Fernando Soares, conhecido comoFernando Baiano. Em delação à Justiça Federal, ele relatou encontros em que Cunha teria recebido propina.

A campanha, que atingiu 1 milhão de assinaturas em 19 de abril não tem efeito jurídico, mas é uma forma de pressão popular. A meta é chegar a 2 milhões.

Pesquisas de opinião também mostram o apoio da maioria dos brasileiros à saída de Cunha. De acordo com sondagem do DataFolha divulgada em 10 de abril, 77% dos entrevistos defendem a cassação do mandato do parlamentar.

Instaurado em 3 de novembro, o processo do peemedebista é o mais longo da história do Conselho. Uma série de manobras de aliados têm atrasado a tramitação. A expectativa do relator, deputado Marcos Rogério (DEM-RO) é apresentar o parecer na segunda quinzena de maio.

O HuffPost Brasil conversou com Caroline d´Essen, criadora da petição no Avaaz. Confira.

HuffPost Brasil: O número de assinaturas, assim como pesquisas de opinião mostram que os brasileiros querem a saída de Eduardo Cunha. Você acha que os deputados, que têm poder de fato para isso, vão se sensibilizar com a entrega da representação?

Caroline d'Essen: Sim. Funcionou antes como na votação pelo fim do voto secreto ou na aprovação da lei da Ficha Limpa, e vai funcionar agora. Os deputados são representantes do povo e não podem simplesmente ignorar a voz de 1,3 milhão de pessoas. Recentemente, com os enormes protestos no País, nós vimos que a pressão popular funciona e agiliza processos dentro do Congresso, pois mostra aos deputados que as pessoas pedem urgência para a resolução dos problemas. Portanto, vamos continuar pressionando cada um deles, até que o Conselho tome uma decisão que responda à altura do que a sociedade pede.

A entrega pode pressionar o Supremo Tribunal Federal a decidir sobre o afastamento ou há alguma ação programada para isso?

Esperamos que sim. Sabemos que o ministro Teori Zavascki afirmou que não tem previsão de quando levará a julgamento o pedido de afastamento do deputado Eduardo Cunha, mas acreditamos que o debate pode esquentar. O STF acabou de autorizar a abertura de mais dois inquéritos contra Cunha.

O que te motivou a coordenar a coleta de assinaturas?

Indignação. Quando criei a petição, no ano passado, mal conseguia acreditar em cada manobra que Cunha parecia usar para adiar o processo no Conselho de Ética. Ele nos dá a impressão de usar sua influente posição em benefício próprio. Eu me senti muito mal como cidadã brasileira com essa falta de respeito, por isso decidi criar a petição. Precisamos de líderes e representantes íntegros, que coloquem o interesse do cidadão acima dos seus interesses pessoais.

LEIA TAMBÉM

- 14 coisas que aconteceram enquanto Cunha atrasa o Conselho de Ética

- 'Uma mulher honesta está sendo tirada do cargo por um gângster chantagista', acusa Jean Wyllys

- Cunha é beneficiado por aliado, que manobra para atrapalhar Conselho de Ética