NOTÍCIAS
05/04/2016 22:57 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Especialistas explicam por que você nunca deve tirar as cutículas

Cada vez que a manicure pega o alicate pequeno e pergunta “quer tirar a cutícula?”, nós congelamos.

No fundo, no fundo, sabemos que não deveríamos tirar a cutícula, mas quando vemos aquelas peles rasgadas perto da ponta dos nossos dedos, ficamos com vontade de pedir o corte de cutículas só para ficarmos com as unhas perfeitas. Mas nos arrependemos da decisão irracional quando, alguns dias mais tarde, notamos que nossas cutículas estão ressecadas e descancando, mais uma vez.

A cutícula é o selo protetor natural da unha. Ela não deixa que água, umidade e organismos penetrem na unha

Qual é a finalidade das cutículas?

De acordo com a dermatologista Dana Stern, especialista em unhas, a cutícula é o selo protetor natural da unha. Ela impede a entrada de água, umidade e organismos na unha. Stern explica: "A cutícula cobre a parte mais importante da unha, a matriz ungueal. Qualquer trauma na área da cutícula (quando ela é cortada, mordida ou arrancada) pode afetar a matriz e, com o tempo, se refletirá em irregularidades na unha (depressões, faixas verticais mais elevadas, descoloração)".

Deborah Lippmann, manicure de celebridades, acrescenta: "A pele é o maior órgão do corpo, e as cutículas são a última linha de defesa das unhas, uma barreira protetora que impede a entrada de bactérias na unha".

Quando bactérias penetram na prega periungueal através das cutículas, o resultado, segundo Stern, pode ser uma infecção chamada paroníquia aguda, que deixa a região inflamada e vermelha. A médica observa que essas infecções precisam ser drenadas e cuidadas por um médico, que normalmente receita um antibiótico.

Quando a barreira da cutícula é prejudicada e umidade penetra na unha, Stern diz que a pele atrás da cutícula fica encharcada, vermelha e inchada, favorecendo a penetração de fungos. Essa condição é conhecida como paroníquia crônica. Com o tempo, se a cutícula continuar comprometida, a unha acabará apresentando um crescimento anormal.

O corte das cutículas pode levar ao alastramento de bactérias e infecções, danificando as unhas. Em vez de cortar as cutículas, empurre-as suavemente para trás.

Para isso, Stern recomenda o uso de uma toalhinha úmida, depois de um banho quente ou de deixar as mãos imersas. Ela desaconselha o uso de removedores de cutículas quando o selo protetor ainda está comprometido, porque esses produtos “muitas vezes contêm materiais alcalinos e funcionam através da destruição da queratina”.

O cuidado correto das cutículas ajuda a prevenir e tratar rachaduras.

"Lixe as cutículas corretamente e as empurre para trás”, recomenda Lippmann. “E depois, hidrate, hidrate, hidrate! Utilize um óleo hidratante de cutículas, como o Deborah Lippmann The Cure , e um creme para as mãos."

No dia 25 de março Stern lançou na emissora QVC o Nail Renewal System (Sistema de Renovação das Unhas), que inclui um tratamento hidratante tópico na forma de uma caneta de clicar repleta de óleos de coco, damasco e girassol.

Para deixar suas unhas ótimas, Lippmann recomenda que o sistema seja seguido à noite. Em seguida, recomenda, “cobra suas mãos imediatamente com toalhas quentes, para que elas possam absorver todos os nutrientes. E a sensação também é maravilhosa!”

Não se esqueça: o melhor cuidado das unhas começa por dentro.

Uma das maiores recomendações de Lippmann para a beleza das unhas é tomar água constantemente. “Hidratar-se é bom não apenas para a pele –também beneficia as unhas e cutículas”, ela diz.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- É verdade que engordamos quando amamos?

- Este vídeo vai te ajudar a descobrir a verdadeira idade dos seus ouvidos