POLÍTICA
30/03/2016 22:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

'Linha auxiliar ou terceiro campo?' Luciana Genro critica posição do PSOL sobre eleições gerais em 2016

YASUYOSHI CHIBA via Getty Images
Brazilian presidential candidate for the Socialism and Freedom Party (PSOL) Luciana Genro attends their last TV debate in Rio de Janeiro, Brazil, on October 2, 2014. The general election will be held on October 5, 2014. AFP PHOTO / YASUYOSHI CHIBA (Photo credit should read YASUYOSHI CHIBA/AFP/Getty Images)

"Linha auxiliar uma ova!"

Em 2014 Luciana Genro não deixou espaço para dúvidas. No debate dos presidenciáveis, a candidata do PSOL viralizou nos comentários das redes sociais ao rebater provocação de Aécio Neves (PSDB), que chamou o partido de "linha auxiliar" do PT. "Uma ova", respondeu a candidata, sem rodeios.

Dois anos depois, ela não deixou por menos, mais uma vez.

Em desabafo no Facebook, a ex-deputada refutou o posicionamento do PSOL em Brasília e não amaciou: "Ninguém mais defende o governo, mas uma suposta democracia que significa obrigar o povo a aguentar Dilma mais 3 anos, mesmo que ela tenha perdido apoio e legitimidade".

"Que o PT se aferre à defesa de Dilma e do governo é compreensível. Incompreensível é que lideranças do PSOL em Brasília venham a público me criticar por defender eleições gerais. Somos todos contra o impeachment que levará Temer à presidência, mas isso não significa defender que Dilma tem legitimidade para governar até 2018."

Em seu post, que já recebeu mais de 1,5 mil likes em apoio, ela questiona sobre qual seria o melhor posicionamento a se adotar diante do contexto de crise política.

"Com que credibilidade seremos uma alternativa se nos colamos no governo agora, depois de tudo o que fizeram e estão fazendo? Eu não aceito cumprir o papel de linha auxiliar do PT. Quando respondi ao Aécio em um debate presidencial – linha auxiliar do PT uma ova – fui aplaudida por TODO o PSOL. Pois na campanha não fomos linha auxiliar do PT e nem da direita. Denunciamos que a briga entre “o sujo e o mal lavado” não era nossa e que tínhamos a tarefa de construir um terceiro campo. É preciso seguir sendo consequente com esta estratégia."

E seguiu argumentando:

"Nunca um partido de esquerda aderiu a um discurso tão reacionário quanto dizer que um presidente eleito tem que cumprir seu mandato independente de sua legitimidade popular. A direita está crescendo. E cresce porque o PT faliu."

Luciana, ainda, aproveitou pra convocar os seus partidários "a ser parte do terceiro campo na hora H que ele pode ser construído".

"Mas crescerá mais com a divisão no PSOL, com uma parte do partido se recusando a ser parte do terceiro campo na hora H que ele pode ser construído e ficando a reboque do PT. São daqueles que vão defender eleições gerais só quando o PT autorizar. Daí pode ser tarde demais.

Enquanto isso, tramam, governo e oposição de direita, para acabar com a Lava Jato. Precisamos lutar para evitar que ela seja enterrada como pretendem PT, PMDB, PSDB, etc, cada um com sua estratégia para atingir este mesmo fim. E defender uma saída pela positiva desta crise, que não é nem Dilma nem Temer, mas sim devolver ao povo a soberania de decidir."

Linha auxiliar ou terceiro campo? Que o PT se aferre à defesa de Dilma e do governo é compreensível. Eles não tem...

Publicado por Luciana Genro em Quarta, 30 de março de 2016
Galeria de Fotos Personagens do Impeachment Veja Fotos