NOTÍCIAS
20/03/2016 17:58 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Claudio Botelho critica PT em peça sobre Chico Buarque e público responde com 'Não vai ter golpe'

Reprodução/Facebook

Neste sábado (19), a apresentação da peça Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos em Belo Horizonte ficou pela metade.

O motivo: o diretor Claudio Botelho, que também estrela o musical, resolveu improvisar e chamou a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula de ladrões.

O clima esquentou: grande parte do público não gostou da crítica e fez coro de "não vai ter golpe".

Botelho, então, saiu do personagem e respondeu: "Vamos terminar o espetáculo e ver se não vai ter golpe".

Assista, abaixo, a um registro em vídeo do momento:

Diante do clima de acirramento político, o espetáculo terminou ali e a apresentação programada para este domingo (20) foi cancelada.

Em nota, o Sesc Palladium, teatro que sediou a peça, disse não concordar com as manifestações do diretor. Veja, abaixo, a nota da casa de espetáculos:

"Em decorrência da manifestação espontânea do diretor e ator do espetáculo Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos e em função dos desdobramentos ocasionados por tal atitude, a apresentação de ontem (19/03) foi interrompida e a de hoje (20/03) cancelada. O Sesc em Minas não corrobora com as manifestações políticas de cunho pessoal e respeita as diversas opiniões de seu público, sempre priorizando a segurança de todos. Lamentamos o ocorrido e os transtornos gerados".

Além do vídeo, circula na internet também um registro em áudio de uma conversa entre Claudio Botelho e a atriz Soraya Ravenle.

Na gravação, é possível ouvir Claudio dizer: "O ator que está em cena é um rei. Não pode ser peitado. Não pode ser peitado por um negro, por um filho da puta que está na plateia."

Ao jornal O Globo, Claudio negou ter sido racista. "É muito vil você gravar uma pessoa na intimidade dela. Eu estava no meu camarim depois de uma situação de estresse absoluto, discutindo com a Soraya, que é minha irmã, a gente briga e se beija dois minutos depois. Usei a expressão 'nego', e não 'negro', como se diz no Rio, no sentido de "pessoa". Tirar isso do contexto e falar que é racismo é absurdo. Eu fiz o musical do Milton Nascimento, fiz 'A Ópera do Malandro'!

Não pode mais

De acordo com a colunista Sonia Racy, do Estadão, Botelho não poderá continuar usando as músicas de Chico Buarque.

Devido à polêmica, Chico Buarque decidiu retirar a autorização de uso das canções no espetáculo Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos e em qualquer outro projeto do diretor.

LEIA MAIS

- OAB declara apoio ao impeachment de Dilma e repudia abusos do MP

- Lula atinge seu pior índice de rejeição no Datafolha: 57% dos eleitores