NOTÍCIAS
18/03/2016 15:38 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Esta loja de artigos para protestos vai te ajudar a mudar o Brasil de verdade

reprodução

É fato que o brasileiro surpreende por sua criatividade, em todos os sentidos.

Nos últimos protestos, cidadãos "criaram" novas maneiras de se manifestar: como o "buzinaço", o "pisca pisca" das luzes, e o mais conhecido, o "panelaço".

A origem desta forma de manifestação é desconhecida. Há indícios de que o panelaço é uma invenção latino-americana que foi utilizada pela primeira vez em uma marcha da classe média contra o governo de Salvador Allende, no Chile, em 1971.

Desde 2013, grande parte da população vem aderindo ao movimento, que costuma acontecer quando a presidenteDilma Rousseff, do PT, faz algum pronunciamento na televisão.

Diante desse contexto, um site tem viralizado nas redes sociais: o Bate Panelaço! Loja Oficial .

A principio ele parece ser um e-commerce de produtos "anti-corrupção", "fora PT" e "fora Dilma". O slogan é direto:

"Não desista do Brasil. Faça a diferença! Você pode consertar o país. Acredito na mudança."

Com a distância de um clique, as panelas, apitos, canecas e camisetas com a frase "Eu faço a diferença" direcionam o usuário a outra página. E aí é que está a surpresa.

"Quer mudar o Brasil? Bater panela não muda nada. Mas você pode fazer a diferença de verdade."

Em vez de comprar os itens expostos no site, o usuário é redirecionado a sites para onde pode doar o dinheiro que pagaria naquele produto. São listadas quatro instituições que defendem causas diferentes e de grande relevância para a sociedade: Fase, Teto, Acorde e Doare.

Ao clicar em "Quero fazer diferença", o interessado é levado ao site da instituição escolhida, e as ONGs beneficiadas vivenciam a solidariedade e a mudança que tanto se pede no país.

LEIA MAIS:

- Dilma: Politização das investigações é um retorno a páginas atrasadas da nossa História

- Protestos contra o governo e nomeação Lula chegam a 11 capitais brasileiras

- O que acontecerá com o processo de impeachment de Dilma no Congresso