NOTÍCIAS
17/03/2016 14:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Protestos em 14 Estados e no Distrito Federal são marcados pela indignação e pela violência (FOTOS)

Montagem/Reuters

Em meio à indignação pela indicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o Ministério da Casa Civil e pelo teor das interceptações telefônicas de conversas entre Lula e a presidente Dilma Rousseff (PT), manifestantes protestam nesta quinta-feira (17) em 14 Estados e no Distrito Federal. De tão acirrados, os ânimos desembocaram em episódios de violência.

Segundo o G1, são registradas manifestações no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Ceará, Paraíba, Amapá, Mato Grosso, Pernambuco, Rondônia e Sergipe.

Na capital federal, manifestantes contra e a favor do governo de Dilma brigaram nas imediações do Palácio do Planalto na manhã desta quinta-feira, pouco antes da posse do ex-presidente Lula como novo ministro da Casa Civil.

Galeria de Fotos Protestos contra posse de Lula e governo Dilma Veja Fotos

Do lado de fora do Planalto, cerca de 300 manifestantes a favor de Dilma e Lula, segundo levantamento da PM, reuniram-se na Praça dos Três Poderes levando bandeiras vermelhas do PT e do MST. O grupo abriu uma grande faixa com a frase "Não vai ter golpe". Parte deles invadiu a área restrita do palácio.

URGENTE - BRASÍLIANossos companheiros e companheiras estão ENCURRALADOS em Brasília, de uma lado a PM e de outro os coxinhas. A PM não tá abrindo espaço para saírem, provocando mais confusão e animosidade entre os manifestantes.Isso é um absurdo, ajudem a divulgar!

Publicado por Levante Popular da Juventude em Quinta, 17 de março de 2016

Separados pela polícia, estavam reunidos os manifestantes contra o governo, também em cerca de 300 pessoas, de acordo com a PM. Os manifestantes contrários ao governo ocuparam a pista principal da Esplanada dos Ministérios na altura do Senado. Eles tinham faixas de apoio ao juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da operação Lava Jato na primeira instância, em Curitiba.

“Houve um princípio de confronto e foi necessário usar spray para separar a briga”, disse um porta-voz da Polícia Militar do Distrito Federal. Na confusão, um manifestante pró-governo acabou sendo espancado. O rapaz se identificou apenas como Alessandro, disse que não sabia da localização do grupo contrário ao governo e declarou que apenas tentava chegar aonde estão concentrados os manifestantes petistas.

Um grupo de policiais retirou às pressas o rapaz do local. Ele saiu andando, com roupa rasgada e bastante atingido por pancadas e socos, mas conseguiu se juntar ao grupo pró-governo.

Outros Estados

Em São Paulo, os manifestantes passaram a noite na Avenida Paulista, concentrados entre o vão livre do Masp e a sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que apoia o impeachment de Dilma. Durante a manhã, pelo menos dois incidentes de briga envolvendo manifestantes foi registrada. Em um deles, a briga teria ocorrido porque uma das pessoas estava vestindo uma camiseta vermelha.

O secretário estadual de Segurança, Alexandre de Moraes, foi até a avenida e acabou hostilizado.