NOTÍCIAS
16/03/2016 13:58 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Coreia do Norte condena estudante norte-americano a 15 anos de trabalhos forçados

ASSOCIATED PRESS
American student Otto Warmbier, center, is escorted at the Supreme Court in Pyongyang, North Korea, Wednesday, March 16, 2016. North Korea's highest court sentenced Warmbier, a 21-year-old University of Virginia undergraduate student, from Wyoming, Ohio, to 15 years in prison with hard labor on Wednesday for subversion. He allegedly attempted to steal a propaganda banner from a restricted area of his hotel at the request of an acquaintance who wanted to hang it in her church. (AP Photo/Jon Chol Jin)

A suprema corte da Coreia do Norte condenou nesta quarta-feira o estudante norte-americano Otto Warmbier, preso durante visita ao país, a 15 anos de trabalhos forçados por crimes contra o Estado.

Warmbier, estudante de 21 anos da Universidade da Virginia, foi detido em janeiro ao tentar roubar um item com slogans de propaganda em seu hotel em Pyongyang, relatou a mídia norte-coreana anteriormente.

Ele foi enquadrado por subversão no artigo 60 do código criminal da Coreia do Norte. A corte sustentou que ele cometeu um crime "em conformidade com a política hostil do governo dos EUA em relação à Coreia do Norte, numa tentativa de prejudicar a unidade do seu povo".

A Coreia do Norte regularmente acusa Washington e Seul de enviar pessoas para espionar seu governo, embora o turismo de norte-americanos seja legal.

A Human Rights Watch (HRW), organização internacional não-governamental que defende os direitos humanos, condenou a sentença dada ao estudante. A agência de notícias japonesa Kyodo publicou uma foto de Warmbier sendo levado do tribunal por dois guardas uniformizados.

"A sentença norte-coreana a Otto Warmbier de 15 anos de trabalhos forçados por uma brincadeira de estudante é ultrajante e chocante, e não pode ter permissão para vigorar", disse Phil Robertson, vice-diretor da divisão asiática da HRW.

A Universidade de Virginia também se manifestou e disse que estava ciente da condenação de Warmbier e que permanece em contato com a família do rapaz.