NOTÍCIAS
15/03/2016 15:04 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Angelina Jolie: 'Não podemos gerenciar o mundo com ajuda humanitária em vez de diplomacia'

ASSOCIATED PRESS
U.S. actress Angelina Jolie, Special Envoy of the United Nations High Commissioner for Refugees, speaks during a press conference during her visit to a Syrian refugee camp, in the eastern city of Zahleh, Lebanon, Tuesday, March 15, 2016. (AP Photo/Bilal Hussein)

Enviada especial da agência de refugiados da ONU, Angelina Jolie visitou, nesta terça-feira (15) um campo de refugiados no Vale de Beeka, no Líbano.

Durante discurso, ela pediu que a comunidade internacional combata as causas da crise global de refugiados.

"Nós não podemos gerenciar o mundo por meio da ajuda humanitária no lugar da diplomacia e de soluções políticas", criticou Jolie, que disse ainda que liderança "ao meu ver, é fazer mais do que simplesmente proteger fronteiras", mas sim tomar decisões que garantam que a crise de refugiados não vá se agravar ainda mais.

Centenas de milhares de sírios fugiram de seu país natal para Beeka. Atualmente, o Líbano tem uma população de cerca de 1 milhão de refugiados, cerca de um quarto dos que vivem no país.

"Vocês estão mandando para o mundo um exemplo de generosidade, humanidade, resiliência e solidariedade", disse ela, que em nome da ONU, agradeceu aos libaneses.

Sobre o fim da Guerra na Síria, que completa cinco anos, ela disse que é "trágico e vergonhoso que estejamos tão longe desse ponto".

De acordo com a ONU, há mais deslocados por conta de conflitos hoje do que durante a 2ª Guerra Mundial.

"Nós estamos em um momento de extrema dificuldade, em que as consequências da crise de refugiados parecem estar superando a nossa capacidade e até mesmo nossa coragem de reagir a isso", falou Jolie.

Galeria de Fotos Angelina Jolie em campo de refugiados Veja Fotos

Também nesta terça-feira, para marcar o quinto ano do conflito sírio, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha divulgou um vídeo onde a advogada especializada em direitos humanos Amal Clooney e o ator George Clooney conversam com refugiados em Berlim.

"O que me impressiona não é que tenha acontecido, mas que esteja acontecendo há cinco anos", afirmou George. Descendente de irlandeses, ele disse que, há cem anos, sua família também era "refugiada nos EUA". A família de Amal, sua mulher, também fugiu da guerra no Líbano para se radicar no Reino Unido.

Amal and George Clooney talk to Syrian families in Berlin

Today, on the 5th anniversary of the Syria conflict, we share a message of hope stemming from a recent meeting with George Clooney and Amal Clooney and three Syrian refugee families now safe in Germany. The families shared with the Clooney's the terror of fleeing war-ravaged Syria and their hopes for a better future. In turn, George also shared his family’s history of flourishing in America after fleeing Ireland, and Amal her family’s history of leaving war-torn Lebanon for the United Kingdom. We're honored to have organized this meeting. Share this video if you stand #withSyria, IRC, George, and Amal in making #RefugeesWelcome-- wherever they are.

Posted by International Rescue Committee on Martes, 15 de marzo de 2016