NOTÍCIAS
14/03/2016 19:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Depois da confusão, Dilma nomeia subprocurador-geral da República para Ministério da Justiça

Reprodução/Youtube

Depois da confusão com a nomeação do procurador de Justiça do Ministério Público Estadual da Bahia, Wellington César Lima e Silva, para o Ministério da Justiça, o Palácio do Planalto anunciou que o subprocurador-geral da República Eugênio Aragão assumirá o comando da pasta.

Por incompatibilidade constitucional, Lima e Silva só poderia assumir a Justiça se desistisse da carreira vitalícia de procurador. Para não abrir mão do cargo, o procurador entregou a carta de demissão à presidente.

Eugênio Aragão foi um dos principais nomes cotados para assumir a vaga de Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal.

No cargo de vice-procurador-geral eleitoral, Aragão já foi responsável por pelo menos uma decisão que contrariou a presidente.

Ele assinou a manifestação do Ministério Público contra o entendimento da defesa de Dilma de que as delações premiadas na Lava Jatonão teriam pertinência com o que se discute na ação contra a chapa da presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

11 dias no ministério

Lima e Silva assumiu o comando da Justiça no dia em que o ministro José Eduardo Cardozo foi realocado na Advocacia-Geral da União. Imediatamente, a oposição questiona a nomeação do procurador e acionou a Justiça. Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal deu o veredito, para o procurador continuar na Esplanada, ele teria que renunciar ao Ministéio Púbico.

LEIA TAMBÉM:

- Mais confusão! Nomeação do novo ministro da Justiça é suspensa!

- ‘Conjunto de mentiras', diz Cardozo sobre delação de Delcídio

- Relembrar é viver: Há 19 anos, escândalo no PT colocou Lula e Cardozo em lados opostos