NOTÍCIAS
09/03/2016 19:21 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:40 -02

Judoca belga Sarah Loko diz ter sido vítima de racismo em aeroporto de São Paulo

A belga Sarah Loko, a 92º lugar do ranking mundial do judô, afirma ter sido vítima de racismo em sua curta passagem pelo Brasil. A atleta fazia uma conexão no Aeroporto Internacional de Guarulhos (Cumbica) nesta quarta-feira quando acabou barrada por uma funcionária da companhia aérea TAM. As informações são da repórter Bianca Daga, do Espn.com.br.

Sarah está em viagem para a disputa de competições classificatórias para a Olimpíada do Rio de Janeiro. Ela vinha do Peru e fazia uma conexão em Guarulhos para seguir voo em direção a Buenos Aires.

A judoca diz que era a única negra na aeronave e teve de enfrentar uma espécie de interrogatório por parte da funcionária da companhia aérea. " Ela começou a falar comigo e fez várias perguntas: perguntou de onde eu era e disse que havia um problema com meu passaporte. Eu disse que era impossível porque ele era novo, de dois meses atrás. Depois, questionou se eu estava mesmo competindo e pediu pra ver minha passagem de volta para a Bélgica".

Ainda segundo a Espn, Sarah reclamou com a funcionária, tentando entender porque a seleção da Grã-Bretanha não estava sofrendo as mesmas consequências que ela.

Confira a nota da TAM na íntegra: "A TAM informa que em nenhum momento agiu de forma discriminatória. A companhia reforça ainda que valoriza e respeita a diversidade entre as pessoas independentemente de idade, gênero, orientação sexual, religião e etnia.

A TAM esclarece que seguiu a legislação vigente e os procedimentos de segurança previstos para o setor aéreo, realizando a verificação dos documentos de todos os passageiros do voo".

LEIA TAMBÉM:

- 7 atrizes que escolheríamos para o papel de Nina Simone em vez de Zoe Saldana

- Manifestação racista do Ku Klux Klan na Califórnia termina em esfaqueamento

- No Rio, a higienização agora é financiada por empresários e aplaudida pelo governo