NOTÍCIAS
05/03/2016 11:30 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Estudo mostra como Zika vírus pode causar danos cerebrais em fetos

Por Andrew M. Seaman NOVA YORK (Reuters) - O Zika vírus é capaz de infectar e danificar rapidamente células cerebrais em desenvolvimento de fetos, disseram cientistas nesta sexta-feira em um estudo

Mario Tama via Getty Images
RECIFE, BRAZIL - JANUARY 29: David Henrique Ferreira, 5 months, who was born with microcephaly, is held by her mother Mylene Helena Ferreira on January 29, 2016 in Recife, Pernambuco state, Brazil. In the last four months, authorities have recorded around 4,000 cases in Brazil in which the mosquito-borne Zika virus may have led to microcephaly in infants. The ailment results in an abnormally small head in newborns and is associated with various disorders including decreased brain development. According to the World Health Organization (WHO), the Zika virus outbreak is likely to spread throughout nearly all the Americas. (Photo by Mario Tama/Getty Images)

O Zika vírus é capaz de infectar e danificar rapidamente células cerebrais em desenvolvimento de fetos, disseram cientistas nesta sexta-feira em um estudo que mostra um vislumbre de como o vírus pode causar microcefalia, uma má-formação craniana, em fetos expostos no ventre.

Os pesquisadores disseram que o estudo, publicado no periódico Cell Stem Cell, não oferece indícios de um elo causal direto entre o Zika e a microcefalia, mas que identifica onde o vírus pode estar infligindo mais dano nos fetos em desenvolvimento.

O vírus, que é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, infecta um tipo de célula-tronco neural que futuramente forma o córtex cerebral, a camada exterior do cérebro responsável pelas habilidades intelectuais e pelas funções mentais superiores, mostra a pesquisa.

Os cientistas descobriram que estas células, expostas ao vírus em recipientes de laboratório, eram infectadas em três dias, se transformavam em "fábricas de vírus" para replicação viral e morriam mais rápido do que o normal.

"Nosso estudo mostra que, uma vez que o vírus chega ao cérebro, pode alcançar células muito importantes", disse Hengli Tang, pesquisador da Universidade do Sul da Flórida e principal autor do estudo, em uma entrevista.

Tang disse que o estudo sugere que o vírus é capaz de provocar o dano visto na microcefalia.

O Zika foi ligado a casos de microcefalia no Brasil e está se espalhando rapidamente por nações da América Latina e do Caribe, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a decretar uma emergência de saúde pública mundial no dia 1o de fevereiro.

Mas ainda se desconhece muita coisa sobre o Zika, inclusive se o vírus de fato causa microcefalia. O Brasil declarou ter confirmado mais de 640 casos de microcefalia, e considera que a maioria deles está relacionado a infecções de Zika nas mães.

"Ao determinar se o Zika vírus infecta células no cérebro e o que acontece com uma célula infectada, esta monografia começa a lidar com questões relativas a como um vírus que antes era conhecido por causar uma doença amena pode estar ligado à microcefalia", disse Amelia Pinto, especialista em vírus transmitidos por artrópodes, como mosquitos e carrapatos, da Universidade de Saint Louis, em um comunicado.

Tang disse que serão necessários novos estudos para provar se o Zika causa microcefalia ou não.

Atualmente os pesquisadores criam em laboratório o que chamaram de "mini-cérebros" compostos de células-tronco para ver como o vírus pode afetar o desenvolvimento durante um período longo de tempo.

(Por Andrew M. Seaman em Nova York; reportagem adicional de Julie Steenhuysen em Chicago)

LEIA MAIS:

- Casos confirmados de microcefalia continuam a subir e chegam a 641

- PESQUISA: 58% dos brasileiros não concordam com aborto em casos de microcefalia

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: