NOTÍCIAS
04/03/2016 19:39 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Dilma fica inconformada com atuação da Polícia Federal e defende Lula

Montagem/Agência Brasil

Em um pronunciamento de cerca de 10 minutos, acompanhada de dez ministros, a presidente Dilma Rousseff criticou a atuação da Polícia Federal nesta 24ª fase da Operação Lava Jato, e alfinetou o seu ex-líder do governo, senador Delcídio do Amaral (PT-MS). Segundo ela, a delação foi motivada por vingança e retaliação.

“Quero manifestar o meu mais absoluto inconformismo com o fato de o ex-presidente Lula que, por várias vezes, compareceu de forma voluntária para prestar esclarecimentos, seja agora submetido a uma desnecessária a uma condução coercitiva para prestar depoimento”, iniciou.

Delcídio

A presidente desqualificou os argumentos que vazaram da delação de Delcídio contra ela.

"Acredito que seja lamentável que ocorra o vazamento da hipotética delação premiada que, se chegou a ser feita, teve como motivo único a tentativa de atingir a minha pessoa e o meu governo e provavelmente pelo desejo de vingança, imoral e mesquinho desejo de vingança, e de retaliação, de quem não defendeu quem não poderia ser defendido pelos atos."

Ela explicou que o processo contra ela sobre a compra da refinaria de Pasadena foi arquivado a pelo procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. Ela disse que “jamais” conversou com o senador sobre o assunto e que ele não apresentou nenhuma prova concreta. Dilma também disse que é um absurdo relacionar fatos de 2006 com a campanha de 2010.

LEIA TAMBÉM:

- Alvo da operação Lava Jato, ex-presidente Lula ataca Ministério Público e imprensa: 'Por que a Rede Globo não me empresta um sítio?'

- Lava Jato: Investigadores veem indícios de favorecimento de Lula por empreiteiras

- Depoimento de Lula na Polícia Federal de Congonhas é marcado por confusão (VÍDEOS)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: