NOTÍCIAS
02/03/2016 16:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:35 -02

Sonhando em ser um 'Trump tupiniquim', Bolsonaro se filia ao PSC de olho nas eleições de 2018

Reprodução/Facebook

Aconteceu na tarde desta quarta-feira (2), no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), a cerimônia de filiação do deputado federal Jair Bolsonaro (RJ) ao PSC. O parlamentar deixa o PP após 11 anos, aproximando-se assim da meta de sair candidato à Presidência da República nas próximas eleições, em 2018.

Após a mais recente pesquisa do Instituto Datafolha, na qual Bolsonaro aparecia com um índice variando entre 5% e 6% nos quatro cenários simulados, o parlamentar vai consolidando o seu nome como uma possibilidade dentro da direita política. No PSC, o deputado do Rio vai agregar o apoio da Bancada da Bala e também da Bancada Evangélica.

- Pesquisa - Presidente - Datafolha.- "O único a avançar no limite da margem de erro foi Jair Bolsonaro".

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Segunda, 29 de fevereiro de 2016

Um dos filhos de Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, se elegeu nas eleições de 2014 por São Paulo justamente pelo PSC. Anteriormente, o capitão da reserva do Exército já possuía laços de amizade com outro parlamentar, Marco Feliciano (PSC-SP), este pré-candidato à Prefeitura de São Paulo.

“Com ele (Bolsonaro) aprendi a não ter medo de nada. O PSC só ganha com a chegada dele. O PSC é um partido diferente, é um partido da família (...). Agora, querendo ou não, nós somos um partido de direita. O PSC é um partido de ‘peixinhos’, que agora recebeu um ‘tubarão branco’”, afirmou Feliciano durante a cerimônia.

No PSC, Bolsonaro espera conquistar o apoio de setores conservadores e evangélicos para ganhar corpo e apoio, em uma trajetória semelhante àquela vista na recente disputa eleitoral nos Estados Unidos, quando o magnata Donald Trump, no início visto com ironia por boa parte da imprensa e da opinião pública, passou a se colocar como provável nome do Partido Republicano para disputar a Casa Branca.

Assim como Trump, Bolsonaro possui posições controversas no que diz respeito aos direitos humanos e, por isso, costuma receber o apoio de movimentos fascistas. O parlamentar não possui a conta bancária do magnata republicano, mas espera até 2018 compensar isso com o apoio e abrangência de parte da comunidade evangélica.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: