NOTÍCIAS
24/02/2016 09:54 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Agência de classificação de risco Moody's retira selo de bom pagador do Brasil

Bloomberg via Getty Images
The Moody's Investors Service Inc. logo is displayed outside of the company's headquarters in New York, U.S., on Tuesday, Feb. 21, 2012. Moody's Corp. is a credit rating, research, and risk analysis firm. Photographer: Scott Eells/Bloomberg via Getty Images

A agência de classificação de risco Moody's anunciou nesta quarta-feira (24) o rebaixamento da nota de crédito do Brasil. Esta é a terceira agência e última agência a retirar o selo de bom pagador do País.

A nota caiu de Baa3, último nível de grau de investimento, para Ba2. Em dezembro, a agência havia sinalizado que poderia cortar a nota do País, ao revistar a perspectiva de "estável" para "negativa".

O anúncio ocorre uma semana depois de a agência Standard & Poor's ter cortado pela segunda vez a nota do país nos últimos cinco meses. Agora, tanto a perspectiva da S&P, quanto da Moody's, são negativas.

Em comunicado, a Moody's afirma que um dos motivos que levou ao rebaixamento foi a perspectiva de maior deterioração dos indicadores de dívida do Brasil, em um ambiente de baixo crescimento, com a dívida do governo provavelmente superior a 80% do Produto Interno Bruto (PIB), em três anos.

A agência também citou as dinâmicas políticas desafiadoras, que devem continuar dificultando esforços de consolidação fiscal e atrasando reformas estruturais.

Além disso, a perspectiva negativa reflete a visão de riscos de que ocorra uma desaceleração ainda maior na consolidação e na recuperação, ou ainda de mais choques surgirem, o que cria incerteza sobre a magnitude da deterioração do perfil da dívida.

Em dezembro, a agência de classificação de risco Fitch havia retirado o grau de investimento do Brasil. A instituição rebaixou o rating do nível BBB- para BB+, com perspectiva negativa.

A Moody's era a última agência entre as três maiores que mantinha o País como grau de investimento.

(Com informações da Agência Brasil e Estadão Conteúdo)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: