NOTÍCIAS
19/02/2016 15:04 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

'As melhores coisas da vida não são coisas': Projeto substitui presentes por vale-doação

divulgação

Final de festa, diversos embrulhos e caixas coloridas. O resultado? Mais objetos que não são tão necessários assim.

Em vez de mais uma roupa, sapato ou peça decorativa, que tal ser presenteado e presentear aos amigos com uma doação?

Era essa a ideia das sócias cariocas Ana Clara Schulman e Tamara Rothstein ao desenvolver o projeto do Presente Consciente. Transformar o ato de presentear em algo que seja tão simbólico quanto impactante.

Ao pensarem no projeto, a dupla uniu duas preocupações em uma solução: a captação de recursos para instituições beneficentes apoiadoras de diversas causas, e a sustentabilidade e o seu maior vilão, o consumismo exagerado.

Com a ideia em mente, em dezembro de 2014 as sócias participaram da Maratona de Negócios Sociais do SEBRAE e receberam um dos prêmios.Cinco meses depois, o site do Presente Consciente estava no ar.

“É um site inovador, não havia nenhuma ferramenta disponível no país que mediasse e tornasse mais prática a questão das doações”, diz Ana Clara.

O esquema funciona assim: você compra um FeliciCard, como elas chamam os vales-doação, e ele é direcionado a uma das 37 instituições selecionadas.

Desde que iniciaram as transações, em 2015, a dupla já conseguiu captar mais de R$200 mil em doações – ao todo, fizeram 140 eventos, 20 deles só este ano.

“A premissa básica é que não seja uma doação comum. Você vê muitas pessoas doando em nome de outras. No Presente Consciente as duas partes participam do processo. Quem compra o presente dá a oportunidade de a pessoa que ganha fazer a doação. Quem recebe o FeliciCard é responsável por escolher a qual instituição vai doar”, conta Ana Clara.

As ONG’s parceiras são escolhidas por meio de indicações dos usuários e do mapeamento das sócias.

“Temos a preocupação em ter diversidade de causas, regiões e tamanhos de organizações. É difícil escolher bem as instituições, queríamos poder abarcar todas”, compartilha a fundadora.

Além dos cards avulsos, o carro-chefe da empresa são as Festas Conscientes. Nelas, a pessoa que vai realizar o evento pede que os convidados presenteiem com os FeliciCards. Também há a possibilidade da Festa 50/50, em que o responsável do evento pode doar metade do recurso captado e utilizar a outra parte.

Além de ser um mediador para as organizações beneficentes e uma ação totalmente sustentável, o Presente Consciente estimula outra prática quase esquecida em tempos de “curtidas” e “matchs”: tirar um tempinho para escrever mensagens para aqueles que realmente importam.

“Nós recebemos muitos feedbacks dos usuários. Um que marcou bastante foi o de uma pessoa que disse ter adorado receber os FeliciCards não só pela oportunidade da doação, mas também por ter a chance de receber mensagens carinhosas escritas por tantos amigos. Para ele, foi muito mais significativo do que receber um objeto qualquer”, comenta Ana Clara.

LEIA MAIS:

- Indiano juntou dinheiro por 10 anos para comprar ambulância e salvar animais abandonados

- Garotinho com doença genética salva a cidade em 'um dia como Homem de Ferro'

- Garoto com síndrome de Down faz a cesta da vitória para sua equipe. E até adversários comemoram (VÍDEO)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: