MULHERES
18/02/2016 16:55 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Manuela D'ávila deixará de concorrer à prefeitura para cuidar da filha: ‘Essa foi a minha escolha'

Reprodução/Facebook

A deputada estadual do Rio Grande do Sul, Manuela d'Ávila (PCdoB), anunciou nas redes sociais que não vai mais concorrer a eleição para a prefeitura de Porto Alegre. O motivo para abrir mão do sonho de ser prefeita foi a maternidade. Manuela é mãe de Laura, que tem apenas cinco meses, e exige toda a atenção e carinho da política. A decisão foi divulgada ontem à noite, durante uma convenção do partido comunista.

"Dentre as causas, estão justamente aquelas que dizem respeito ao desenvolvimento de nossas crianças na primeira infância. Minha filha, Laura, tem apenas cinco meses. Sei o quanto ela precisa de mim em seus primeiros mil dias, fundamentais para o desenvolvimento", disse a deputada.

PORQUE NÃO CONCORREREI À PREFEITURA:Em 2013, decidi não concorrer à reeleição de deputada federal, após oito intensos...

Publicado por Manuela D'Ávila em Quarta, 17 de fevereiro de 2016

Na carta, a ex-deputada federal também reclamou da falta de ética das campanhas eleitorais e destacou que esse não é o melhor ambiente para a sua filha recém-nascida. "Quem está na frente se torna o alvo de ataques, que não raramente transcendem o limite da ética", disse. "Não vou a expor (Laura) a esse ambiente, que tanto tentamos mudar, num momento tão crucial de sua vida", concluiu.

Nos últimos meses, Manuela tem se posicionado a favor do direito das mulheres de amamentarem publicamente. Inclusive, ajudou a aprovar uma lei, na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, que garante o direito das mulheres amamentarem em qualquer lugar, público ou privado, mesmo com espaços destinados para a prática. Na carta, Manuela se posicionou como feminista, e destacou que não queria pregar uma posição como política e agir de forma diferente como mãe.

"Não adiantaria lutar pelo desenvolvimento de nossos bebês e não fazer valer a minha luta para minha própria filha! Mais do que com teorias, é com a nossa prática que mudamos a realidade", escreveu a deputada.

Manuela aparecia nas pesquisas de intenções de voto na primeira posição entre os candidatos que disputam o cargo na capital gaúcha. No último levantamento, feito pelo Instituto Paraná Pesquisas, a gaúcha aparecia com 25,3%. Na segunda posição estava a candidata à presidência pelo PSOL, Luciana Genro, com 12,2% da preferência.

Luciana também se manifestou sobre a decisão de Manuela em não concorrer ao cargo e disse que a atitude da deputada foi "nobre". A representante do PSOL afirmou que com a desistência da comunista, a sua candidatura ganha mais responsabilidade.

"Boa parte do eleitorado dela a vê como esta possibilidade de renovação. Por isso, sua saída da disputada nos coloca uma grande responsabilidade. Temos o desafio de mostrar a todos os que estão em busca de renovação e de uma política conectada com as necessidades do povo, (...) que em Porto Alegre podemos começar a construir esta mudança."

Muitas pessoas me perguntando o que penso sobre a decisão da Manuela de não concorrer. Eu também sou mãe, o Fernando já...

Publicado por Luciana Genro em Quinta, 18 de fevereiro de 2016

LEIA MAIS:

- Os 5 melhores políticos no Facebook'

- A reação das pessoas à foto de Manuela D'Ávila é a prova de que amamentar ainda é tabu

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: