ENTRETENIMENTO
16/02/2016 17:42 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:31 -02

Homem-Aranha negro e latino, Miles Morales tem sua própria revista agora

Miles Morales, negro e descendente de latinos, vai deixar de ser o Homem-Aranha em uma realidade alternativa para ser o super-herói na realidade definitiva dos quadrinhos da Marvel.

Neste mês, Miles, um adolescente de 16 anos, estreia sua própria revista, Spider-Man #1. Ele substitui Peter Parker no posto, que vai combater o crime em escala global, deixando Nova York sob responsabilidade do novo protagonista.

O gibi é escrito por Brian Michael Bendis e desenhado por Sara Pichelli, os criadores de Miles. Esta é a capa:

Bendis, roteirista de experiência no meio dos quadrinhos, disse em entrevista à Entertainment Weekly que, "em geral, o que Miles representa é que qualquer um pode ser o Homem-Aranha".

"Eu ouvi muito isso de muita gente: que elas queriam ser o Homem-Aranha, porque qualquer um poderia estar naquele uniforme. Essa foi uma grande razão para nós seguirmos esse caminho e criarmos Miles, em primeiro lugar."

O próprio Bendis, casado com uma mulher porto-riquenha, tem duas filhas negras e se vê com uma oportunidade de contribuir com a expansão da representatividade de minorias.

"Tomei a decisão de adicionar positivamente nessa parte da cultura [dos quadrinhos], para crianças pequenas, adultos e adolescentes. Há coisas que nem são representadas. Estou feliz por fazer parte do conserto disso o tanto quanto eu puder, quando a história permitir."

A comentada estreia do personagem foi em 2011 – ele chamou atenção por sua etnia e origem, e por ser inspirado em ícones negros, como Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, e Donald Glover, ator da série Community.

Ele já participou de histórias dos Vingadores e dos Ultimates.

Sua criação é parte de uma forte iniciativa da Marvel de tornar seus quadrinhos mais diversificados.

LEIA MAIS:

- 12 capas da Marvel dedicadas ao mês das mulheres

- Mulher-Aranha está grávida de 8 meses em novo quadrinho

- 92% dos estudantes universitários preferem o livro impresso ao digital, diz pesquisa

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: