NOTÍCIAS
11/02/2016 14:25 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:24 -02

Ponte estaiada, Catedral da Sé e Capão Redondo: Fotógrafo dá rolê de bicicleta por São Paulo para criar cidade alternativa

estaiada

Nego Júnior é do extremo sul de São Paulo. Talvez por isso faça tanto sentido que ele tenha pensado em criar distintos planetas e suas realidades.

E aí que o fotógrafo e designer decidiu partir de bicicleta. Foram 40 quilômetros de pedaladas entre o Capão Redondo, na periferia paulistana, até a Catedral da Sé. Valia tudo: rua, avenida, mas também as mais novas ciclovias e ciclofaixas.

Clicado com a técnica stereographic, panorâmica que acaba recriada numa esfera, a cidade virou mundão. Vários, aliás. Sobre isso tudo, falamos com ele.

HuffPost Brasil - São Paulo, como acabaram demonstradas nas suas imagens, é um mundo. É complexa, é desigual, é pobre, é rica. Como você enxerga o seu mundo dentro de uma cidade tão estranha como a nossa? O que você sente falta na sua São Paulo?

Nego Júnior - Sinto falta de coletividade, uma expressão muito comum nas quebradas que demonstra partilhar dos mesmos interesses trazendo mais união. E justamente por ser tão grande e complexa, as relações entre as pessoas deveriam ser mais abertas, haver mais empatia, dar bom dia para o gari ao invés de jogar lixo no chão usando a máxima “faço isso pra ele ter emprego”.

Foram 40 km percorridos de bicicleta para dar luz ao projeto. O que mais te chocou no caminho? Aliás, alguma coisa ainda choca você em São Paulo? O que rolou de bonito no trajeto que a cidade tinha escondido de você até então?

Durante o percurso é possível ver tanta coisa boa, mas ruim também. Desde motoristas mal informados sobre passar a 1,5 m de distância do ciclista até quero-quero voando do seu lado na ciclovia da Marginal Pinheiros. Tem também a Avenida Carlos Caldeira Filho fechada para o lazer da população local até a obra do monotrilho prometido para 2014, mas com previsão de entrega só em 2017.

O que as pessoas que vivem nessa esfera cinza podem fazer para se sentirem mais livres? A ideia de usar a bicicleta vem daí também? De tentar uma nova alternativa, já que a solução antiga (os carros, claro) já provou não funcionar?

Acho que uma boa dica para se sentir mais livre em São Paulo é experimentar a cidade. Temos vários mundos aqui dentro esperando serem descobertos e visitados. A sensação de liberdade está ligada à ideia de ir e vir sem amarras, mas se você não buscar conhecer, automaticamente não terá essa vontade de sair do lugar que te deixa preso. E se ainda puder fazer isso de bicicleta, aí vira amor por SP na certa!


  • Nego Júnior / Divulgação
    Metrô Capão Redondo
  • Nego Júnior / Divulgação
    Obelisco do Parque do Ibirapuera
  • Nego Júnior / Divulgação
    Catedral da Sé
  • Nego Júnior / Divulgação
    Largo do Paisandú
  • Nego Júnior / Divulgação
    Minhocão
  • Nego Júnior / Divulgação
    Vila Fundão



SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM:

- Ira, Criolo e os artistas que continuam apoiando do MPL na luta pela #TarifaZero

- ASSISTA: Covardia! Grafiteiros são agredidos no centro do Rio

- Cartunista Robert Crumb cede desenhos para protestos do Movimento Passe Livre

- Novo Homem-Aranha do cinema pode ser negro