ENTRETENIMENTO
10/02/2016 18:14 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:24 -02

Tim Burton diz que desigualdade salarial em Hollywood 'é um dos mistérios da vida'

André Murched/HuffPost Brasil

A obra do cineasta norte-americano Tim Burton é marcada principalmente por sua aversão ao "normal". No entanto, mesmo para um artista sempre longe do óbvio, a questão da desigualdade salarial entre homens e mulheres em Hollywood precisa ser tratada do ponto de vista do óbvio.

Em entrevista coletiva à imprensa nesta quarta-feira (10), no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, para divulgar a exposição O Mundo de Tim Burton, o diretor comentou o assunto.

"[Isso] deveria ser simples", disse Burton, tímido e desconfortável diante de tanta gente olhando para ele, enquanto gesticulava:

"Não tenho respostas para isso, porque, para mim, isso não faz sentido. Não penso desta forma, não deveria haver nenhum problema [para se pagar igualitariamente]. É um dos mistérios da vida... Todos deveriam ser pagos igualmente, eu acho. Por que não seriam? É ridículo".

Ele foi aplaudido.

O tal do 'novo Beetlejuice'

Burton comentou diversos outros assuntos, entre os quais a tão falada (e aguardada) sequência de Os Fantasmas se Divertem (1988).

O clássico cult, também conhecido pelo título original, Beetlejuice, fez a carreira do diretor deslanchar e tem atuações icônicas de Michael Keaton, como o personagem-título, e Winona Ryder, como a gótica Lydia.

Ao ouvir a pergunta reproduzida em inglês no pé de seu ouvido pelo tradutor, o diretor caiu no riso.

Desde o início da década de 1990, uma continuação do filme era um assunto que ia e voltava e parecia não chegar a lugar algum.

Mas em 2011, o roteirista Seth Grahame-Smith – que trabalhou com Burton em Sombras da Noite (2012) – disse estar trabalhando em um texto para a sequência.

Smith disse à Entertainment Weekly, em janeiro deste ano, que Ryder e Keaton topam participar de uma possível sequência. A expectativa dos fãs do "bio-exorcista" de roupa listrada nunca esteve tão alta quanto nos últimos anos.

Mas pelo que Burton tem a dizer, infelizmente, por ora o filme parece não estar perto de acontecer de fato.

"Eu li que até já o fiz, então...", disse Burton.

"É um ótimo personagem, que eu amo muito, muito. É o tipo de coisa que, se você sente que está certo fazer [vale fazer]. Eu acabei de ver Michael Keaton, quem eu não via há tipo, 20 anos, e tive uma boa conversa com ele a respeito disso. É sempre uma possibilidade, mas é um personagem tão especial que, se for feito, tem que ser feito corretamente."

Exposição

Aberta para o público desde a última quinta (4), O Mundo de Tim Burton tem foco no processo criativo do artista.

Suculenta para os fãs, a exposição conta com esculturas, exibição de curtas-metragens antigos e desenhos, muitos desenhos – todos de seu acervo pessoal.

Ele demonstrou estar animado com o que foi feito no MIS. Elogiou a equipe do museu e disse que a arte foi apresentada como se estivesse em uma "casa de diversões bizarra."

"É a primeira exposição em que eu estive que tem um escorregador. Vou pedir que sempre tenha um [nas outras exposições]", disse.

Ele fez a ressalva de que os itens expostos não foram feitos para isso. São rascunhos de projetos que se concretizaram ou não – e o que realmente o faz feliz é a inspiração despertada nos outros.

"Uma vez que eu não me considero um grande artista ou um grande cineasta, o que melhor comentário [que tenho recebido] é que o show tem inspirado especialmente crianças a desenhar, criar coisas. Esse é o melhor comentário [que recebi], inspirar pessoas. Mesmo que você não se considere um bom artista, fazer algo que é importante para todo mundo, ser capaz de criar, escrevendo ou fazendo música, tanto faz – o processo criativo é o processo mais importante para a vida de todo mundo."

No fim da entrevista, o diretor agradeceu aos jornalistas, levantou-se e saiu apressado da sala. Ele realmente prefere fazer filmes a falar sobre eles.

O Mundo de Tim Burton fica aberta para o público até 15 de maio – é a primeira vez que a exibição vem à América Latina, depois de passar por Estados Unidos, Canadá e França.

O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, próximo filme do autor, estreia neste ano.

Alice Através do Espelho, no qual ele atua como produtor, chega aos cinemas 26 de maio. É a sequência de Alice no País das Maravilhas (2010).

LEIA MAIS:

- 'O Mundo de Tim Burton', exposição macabra do diretor no MIS, vai fazer os olhos dos fãs brilharem

- Tim Burton parece não estar nada feliz com a falta de negros no Oscar: 'Odeio o prêmio!'

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: