NOTÍCIAS
02/02/2016 11:30 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Eduardo Cunha estuda buscar Corte Europeia de Direitos Humanos por 'perseguição de Janot' no Brasil

José Cruz/ Agência Brasil

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), estuda entrar com uma apelação na Corte Europeia de Direitos Humanos. A informação é da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, publicada nesta terça-feira (2). A razão seria uma suposta “perseguição” por parte do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A revelação de que Cunha possui ainda mais contas na Suíça do que se sabia no ano passado levantou a expectativa por um novo pedido de investigação contra o peemedebista no Supremo Tribunal Federal (STF), que já tem dois inquéritos abertos contra o presidente da Câmara – um por suposto recebimento de propina em contratos da Petrobras, outro pelas contas não declaradas no exterior.

De acordo com a Folha, um advogado especialista em direito internacional já teria sido consultado por Cunha para tratar da possibilidade de buscar a Justiça no exterior. O jornal informa que a iniciativa poderia não só barrar o envio de documentos envolvendo as movimentações do peemedebista no exterior, mas também invalidar os dados já enviados para as autoridades do Brasil.

Fundada em 1950, a Corte Europeia de Direitos Humanos é conhecida por ser o palco mais alto que garante tudo o que prevê a Declaração Universal dos Direitos Humanos, tendo jurisdição contra estados que não cumpram o acordo internacional. Para Cunha e seus advogados, lá o parlamentar teria ‘um julgamento justo’.

Por enquanto, Cunha ainda não definiu se lançará mão desta nova possibilidade.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost