NOTÍCIAS
21/01/2016 12:51 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Brasil fecha 1,542 milhão de vagas formais de trabalho em 2015, pior dado em 23 anos

rodrigobellizzi via Getty Images
Brazilian work document and social security document (carteira de trabalho) and brazilian currency (Real)

O Brasil encerrou 2015 com 1,542 milhão de vagas formais de trabalho perdidas, pior resultado anual desde o início da série histórica em 1992, ressaltando a deterioração do mercado de trabalho com a economia mergulhada em recessão.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta quinta-feira, o número de postos fechados em dezembro, somente, chegou a 596.208, resultado inferior ao registrado em dezembro de 2014 (41,205 milhões) e de dezembro de 2013 (40,785 milhões).

Os setores que mais registraram queda foram a indústria de transformação e a construção civil, com -608.878 e -416.959 vagas, respectivamente.

A agropecuária foi o único setor que apresentou resultado positivo em 2015, com 9.821 postos de trabalho a mais do que no ano anterior.

De acordo com o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, 2015 foi um "ano difícil", mas demonstrou otimismo.

"Os números não são bons. Mas as conquistas dos últimos anos estão preservadas, pois o estoque de empregos continua alto. Não é correto afirmar que 2015 destruiu as conquistas dos últimos anos. Continuamos com mercado formal elevado no país. Mesmo que os números não tenham sido positivos."

A atividade econômica registrou no ano passado seu pior desempenho em décadas. O ambiente de forte inflação e juros elevados foi também contaminado por intensa crise política e indefinições no fronte fiscal, que injetaram volatilidade no mercado e afetaram a confiança de empresários e famílias.

Segundo Rosseto, o governo tem como "prioridade absoluta" no próximo ano focar a preservação de trabalho e geração de emprego no país.

(Com informações da Reuters e Agência Brasil)

LEIA MAIS:

- Como a taxa básica de juros a 14,25% impacta negativamente sua vida

- Impostos: Crise derruba arrecadação e governo registra queda de 5,6%, pior nível desde 2010

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: