MULHERES
08/01/2016 15:13 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

33 fotos poderosas de mulheres nas Forças Armadas

CWO2 PAUL S. MANCUSO/U. S. MARINE CORPS

“As pessoas não sabem: o que é uma veterana? Qual é a aparência dela? Qual é a contribuição dela? O que fizemos lá?”

Foi assim que a veterana Julie Weckerlein descreveu para a NBC News sua experiência depois de voltar para casa. Weckerlein está certa – nem todo mundo entende o impacto das veteranas tiveram e continuam a ter nas Forças Armadas americanas.

Desde 2001, as mulheres vêm se alistando cada vez mais.

Hoje, há mais de 280 mil mulheres servindo nos Estados Unidos.

Em 2013, o Pentágono acabou com a restrição que impedia as mulheres de participar de combates.

Apesar da proibição, elas já vinham atuando na linha de frente há mais de uma década, no Iraque e no Afeganistão.

Ainda assim, nossa ideia de uma militar não corresponde à realidade.

“Ser mulher afeta enormemente minha identidade de veterana”, disse uma participante de uma pesquisa realizada em junho de 2015 pelo The Mission Continues.

“É normal ouvir que sou bonita demais para ter servido, sem falar em ir à guerra. Me disseram que eu não poderia ter problemas relacionados à guerra, porque sou mulher e só teria visto arco-íris e dias ensolarados. Me chamaram de mentirosa.”

Veteranos de todos os gêneros costumam voltar para casa e enfrentar uma vida de desemprego, falta de moradia e assistência médica terrível. Mas a situação é pior para as mulheres que para os homens.

Um em cada quatro hospitais do Departamento de Veteranos não tem um ginecologista em tempo integral.

Em uma única noite de janeiro de 2013, 4 456 veteranas não tinham onde morar.

As mulheres nas Forças Armadas correm risco muito mais alto de estupro que as civis.

Esse trauma adicional pode dificultar ainda mais a transição de volta para a vida civil.

Reunimos 33 fotos de mulheres servindo seu país para honrar as militares que costumam estar faltando na imagem tradicional de um soldado. Elas mostram mulheres treinando, em combate e voltando para suas famílias.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.