NOTÍCIAS
21/12/2015 12:02 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Três em cada cinco deputados defendem o #ForaCunha, seja por cassação ou renúncia (PESQUISA)

André Dusek/Estadão Conteúdo

Pelo menos três em cada cinco deputados federais defendem a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do comando da Casa. É o que mostra a pesquisa do Instituto Datafolha desta segunda-feira (21), divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo. Seja pelo cenário de renúncia ou cassação do mandato, cresce o apoio para que Cunha saia de cena.

Para 62% dos deputados que omitiram opinião sobre a situação do peemedebista, Cunha deveria tomar a iniciativa de sair – um aumento de 17 pontos percentuais em relação ao mesmo levantamento feito em outubro. Só 18% são contra a renúncia do presidente da Câmara, enquanto 20% não responderam.

Levando em conta o PMDB, 38% dos deputados declararam ser favoráveis à renúncia, enquanto 30% disseram-se contrários e 33% não se posicionaram. Até mesmo na oposição é maciço o apoio por uma renúncia: apenas 9% são contra, ante 79% favoráveis e 12% que preferiram não comentar o tema.

Se Cunha não renunciar – como já disse que não o fará –, ele corre risco de ser cassado pelo Conselho de Ética da Câmara, que admitiu na semana passada a abertura de processo contra ele por quebra de decoro, uma vez que ele mentiu à CPI da Petrobras quando disse não ter contas no exterior (algo desmentido pela Justiça suíça e denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal).

Sessenta por centro dos deputados disseram-se favoráveis à cassação do presidente da Câmara – em outubro eram 35%. Somente 8% se dizem ainda contrários.

Entre os partidos, 58% deputados do PMDB preferiram não opinar se votariam ou a favor de Cunha num eventual processo de cassação, contra 30% favoráveis e 13% contrários. A mesma dúvida não há no PT (86% a favor, 12% contrários e 12% indecisos) e na oposição (75% favoráveis à cassação, com 3% contrários e 21% que não responderam).

Margem do impeachment de Dilma segue estável

Pouco oscilou entre outubro e dezembro a margem dos que votariam a favor ou contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo o Datafolha, hoje 42% dos parlamentares são favoráveis, ante 31% de contrários ao impedimento da petista. Outros 27% não responderam ao instituto sobre o tema.

Dois meses atrás, eram 39% os favoráveis ao impeachment de Dilma, enquanto 32% afirmaram ser contrários e 29% não opinaram.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: