MULHERES
13/12/2015 10:39 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Mulheres são eleitas pela primeira vez na Arábia Saudita

DINA FOUAD via Getty Images
A Saudi woman casts her ballot in an election centre in the Saudi capital of Riyadh, on December 12, 2015. Saudi women were allowed to vote in elections for the first time ever, in a tentative step towards easing widespread sex discrimination in the ultra-conservative Islamic kingdom. AFP PHOTO / DINA FOUAD / AFP / DINA FOUAD (Photo credit should read DINA FOUAD/AFP/Getty Images)

A Arábia Saudita elegeu uma mulher pela primeira vez na história. Salma Al Oteibi Hizab Bent terá um assento no Conselho Municipal Madrakah, cidade na região de Meca -- o primeiro lugar sagrado do Islã. Esta foi a primeira eleição em que mulheres puderam participar como candidatas e eleitoras no país.

Hizab competiu com sete homens e duas mulheres, disse o presidente da Comissão Eleitoral, Osama Al Bar, segundo informações do G1. Para ele, a participação de mulheres nos conselhos municipais denota "a preocupação e o interesse do Estado em envolver ainda mais esses conselhos no desenvolvimento do país".

A Arábia Saudita é uma monarquia absoluta e as eleições do conselhos regionais são a única forma de participação popular existente. O conselho, no entanto, possui poderes limitados. Eles podem aprovar orçamentos e supervisionar projetos de desenvolvimento, mas não possuem palavra final sobre como o dinheiro público é gasto.

"Cada passo para ter mais mulheres participando na sociedade, por meio de meios econômicos, políticos ou sociais é importante", disse Lama al-Suleiman, empresária e candidata na cidade costeira de Jeddah. "Quanto mais mulheres estiverem lá, mais sabemos que há uma representação completa da população da Arábia Saudita".

As eleições deste fim de semana são consideradas uma pequena mas significativa abertura para que as mulheres tenham um papel mais igualitário na sociedade saudita. Mais de 5 mil homens e 980 mulheres se apresentaram como candidatos para os conselhos municipais, enquanto mais de 130 mil mulheres se registraram para votar, ante 1,35 milhão de homens.

Na Arábia Saudita, as mulheres são privadas de diversos direitos básicos, como dirigir ou viajar para o exterior sem a permissão de um parente do sexo masculino.

(Com Agência Estado)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: