NOTÍCIAS
09/12/2015 13:57 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:40 -02

Caso Petrobras concorre a 'prêmio' de maior escândalo de corrupção do mundo

FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO

O esquema de corrupção na Petrobras revelado pela Operação Lava Jato no ano passado concorre ao um prêmio internacional: a do maior escândalo de corrupção do mundo.

A partir desta quarta-feira (9), a entidade Transparência Internacional - que serve de referência ao combate à corrupção no mundo - abre uma votação para escolher o caso mais simbólico.

It's Anti-Corruption Day and we've just released the top 15 biggest symbols of grand corruption. See who made the list on www.unmaskthecorrupt.org and VOTE for who you think is the worst!

Posted by Transparency International on Quarta, 9 de dezembro de 2015

A votação vai até o dia 9 de fevereiro. Mas a concorrência é forte. Na corrida está o caso do Banco Espírito Santo, de Portugal, Zine Al Abidine Ben Ali, o ex-presidente da Tunísia, a Fifa, o ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli, o ex-líder do Egito Hosni Mubarak, o comércio de pedras preciosas em Myanmar, a situação de Teodoro Obiang ou o ucraniano Viktor Yanukovych.

Alguns dos demais casos também contam com a ampla participação de brasileiros. Na Fifa, diversos brasileiros foram indiciados ou estão sendo investigados pela Justiça dos EUA: Ricardo Teixeira, José Maria Marin, Marco Polo Del Nero e João Havelange.

No caso do Panamá, a suspeita é do envolvimento da Odebrecht no pagamento de propinas.

A votação faz parte da campanha Desmascarar a Corrupção para alertar para os casos mais simbólicos. "São exemplos de abuso de poder que beneficiam poucos às custas de muitos", alertou a entidade com sede em Berlim. "Milhões são afetados pelo mundo", insistiu.

Ao lançar a campanha, um dos líderes do Transparência Internacional, Jose Ugaz, apontou que a opinião pública é importante para parar essa 'doença'. O caso Petrobras foi escolhido entre 383 casos propostos para a eleição. Na fase final, apenas 15 foram selecionados.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: