MULHERES
05/12/2015 13:28 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Você vai se emocionar com Marília Pêra recitando poema 'Amar' de Carlos Drummond de Andrade (VÍDEO)

"Amar a nossa falta mesma de amor,

e na secura nossa, amar a água implícita,

e o beijo tácito, e a sede infinita".

Os versos acima são de um dos poemas mais emocionantes do poeta Carlos Drummond de Andrade. Nos versos de "Amar", ele fala profundamente da capacidade que o ser humano tem de buscar eternamente este sentimento que ao mesmo tempo preenche e fere.

A atriz, cantora e diretora Marília Pêra, que morreu neste sábado (5), no Rio, aos 72 anos, em decorrência de um câncer de pulmão, em 2012, participou de um projeto junto com outras atrizes em que recitou de forma profunda, verdadeira e emocional, o poema de Drummond.

Antes de começar a recitar, Marília desabafa:

"Sabe o que acontece? Eu vou ficando emocionada com o que eu estou dizendo e eu passo a não enxergar, sabe? Eu fico lacrimejando. Eu não sei se é melhor beber água ou... são tudo emoções. Ás vezes a gente tem que se acalmar"

E, então, respira profundamente e começa a recitar os versos:

Que pode uma criatura senão,

entre criaturas, amar?

amar e esquecer, amar e malamar,

amar, desamar, amar?

sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Assista ao vídeo acima e emocione-se.

LEIA MAIS:

- 7 vezes em que Marília Pêra interpretou mulheres tão incríveis quanto ela

- Morte de Marília Pêra: Atriz morre aos 72 anos no Rio de Janeiro

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: