MULHERES
04/12/2015 10:23 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

15 fotos íntimas de mulheres na cama com seus métodos contraceptivos

Damon Dahlen

Ao longo dos últimos dez anos, usei cinco tipos diferentes de método contraceptivo: dois tipos de pílula, preservativos, pílula do dia seguinte e, mais recentemente, DIU.

Considerando que tenho apenas 28 anos, método contraceptivo é provavelmente algo que terei de pensar constantemente pelas próximas duas décadas, e não sou a única.

Ainda assim, a “saga” das mulheres em busca de um anticoncepcional que se adapte às suas vidas e organismos é algo que a maioria de nós raramente discute em profundidade.

Decidir como controlar a própria saúde reprodutiva envolve muitos fatores: acesso ao método contraceptivo, o lado financeiro, conveniência, ciclo menstrual, sensibilidade do corpo aos hormônios e/ou látex... e a lista é extensa.

Encontrar o método contraceptivo correto envolve muitos erros e acertos sobre o próprio corpo.

Assumir o controle sobre suas escolhas reprodutivas pode ser incrivelmente empoderador.

Também pode ser exaustivo saber que existem políticos que estão ativamente trabalhando para restringir o acesso ao método contraceptivo e depreciar mulheres que o utilizam. E são muitas mulheres.

De acordo com o Instituto Guttmacher, existem 43 milhões de mulheres nos Estados Unidos que são sexualmente ativas, mas não querem engravidar, segundo dados de 2015.

E, das mulheres entre 15 e 44 anos que tiveram relações sexuais, mais de 99% usaram pelo menos um método contraceptivo.

Cerca de 62% das mulheres em idade reprodutiva usam atualmente algum tipo de anticoncepcional.

E, embora o método contraceptivo seja usado na maioria das vezes para, óbvio, evitar a gravidez, muitas mulheres recorrem a ele para controlar dolorosas cólicas menstruais ou síndromes, como a do ovário policístico.

Quase toda mulher tem uma história sobre seu método contraceptivo, esteja ela usando a mesma pílula há 15 anos, ou tentado o adesivo anticoncepcional por um tempo e depois optado pelo método de coito interrompido (“ejacular fora”) e preservativos, ou não tenha relações sexuais e apenas use a pílula para controlar cólicas menstruais.

Ou talvez tenha colocado o DIU depois de ter filhos e agora esteja na menopausa. Essas são histórias que raramente ouvimos, mas que queremos explorar.

Começo contando minha história. Depois, pedimos para que mulheres permitissem que as fotografássemos em suas casas com o método contraceptivo utilizado por elas atualmente. Quatorze concordaram.

Fotos: Damon Dahlen

Notas da Editora: (1) O DIU usado nas fotografias é uma amostra de DIU de cobre da marca ParaGard, fornecida pela Planned Parenthood. (2) Por razões de logística, uma das fotografias foi tirada no escritório do Huffington Post, e não no quarto de uma das entrevistadas.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.