NOTÍCIAS
02/12/2015 13:46 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Oxfam: 10% dos mais ricos geram mais de 50% das emissões de CO2

WANG ZHAO via Getty Images
An elderly woman wearing a mask looks on as she visits Tiananmen Square during heavy pollution in Beijing on December 1, 2015. Beijing ordered hundreds of factories to shut and allowed children to skip school as choking smog reached over 25 times safe levels on December 1, casting a cloud over China's participation in Paris climate talks. AFP PHOTO / WANG ZHAO / AFP / WANG ZHAO (Photo credit should read WANG ZHAO/AFP/Getty Images)

A organização não governamental britânica Oxfam afirmou hoje (2) que 10% dos habitantes mais ricos do mundo são responsáveis por mais da metade das emissões de dióxido de carbono (CO2).

Em relatório divulgado durante a 21ª Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP21), em Paris, a Oxfam informou que, no sentido inverso, metade dos mais pobres no planeta é responsável por apenas 10% das emissões poluentes.

"As alterações climáticas estão intrinsecamente ligadas às desigualdades econômicas. É uma crise induzida pelas emissões de gases de efeito estufa que afetam mais duramente os pobres", diz o relatório intitulado "Desigualdades Extremas e Emissões de CO2".

O documento informa que uma pessoa que faça parte do 1% da população mais rica do mundo "gera, em média, 175 vezes mais" dióxido de carbono do que a que está entre os 10% mais pobres do mundo.

Apesar de o cálculo das emissões de CO2 ser feito geralmente em função da produção por país, o estudo analisa sobretudo as formas de consumo individual e tem em conta os produtos importados, comparando ainda os efeitos desses modos de vida sobre o clima.

O relatório da Oxfam mostra também que, mesmo que as emissões totais dos grandes países emergentes progridam muito rapidamente - a China é o mais poluidor do mundo -, "as emissões ligadas ao modo de consumo dos habitantes mais ricos desses países são bem menores do que as dos seus equivalente nos países ricos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico".

A Oxfam acrescenta que a Índia, o terceiro país mais poluidor do mundo, atrás da China e dos Estados Unidos, deverá destronar os norte-americanos até 2030.

"É certo que as emissões aumentam rapidamente nos países em desenvolvimento, mas grande parte delas é proveniente da produção de bens de consumo noutros países", ressalta a organização não-governamental britânica.

"Os países em desenvolvimento devem fazer a sua parte, mas cabe aos países ricos mostrar o caminho e assumir as consequências desastrosas do seu modo de consumo e de desenvolvimento", acrescenta o documento.

No início de novembro, os economistas franceses Lucas Cancel e Thomas Piketti divulgaram estudo semelhante e demonstraram que um norte-americano emite, em média, 22,5 toneladas dióxido de carbono equivalente por ano, valor que é de apenas 2,2% quando se trata de um cidadão africano.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: