NOTÍCIAS
29/11/2015 11:07 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Maju Coutinho sobre racismo: 'Estou no JN numa posição que não é servindo cafezinho, de igual para igual'

Montagem/Facebook

A jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju, é o destaque da revista Serafina, publicada neste domingo (29) pelo jornal Folha de S.Paulo.

A reportagem aborda a infância e adolescência dela, em uma família de classe média baixa na zona leste de São Paulo, e a dedicação à carreira, entre aulas de pedagogia, encanto pelo jornalismo e aprendizado na meteorologia.

Claro que racismo foi um dos temas mais presentes na reportagem, uma vez que a responsável pelo tempo no Jornal Nacional foi vítima de ataques racistas na internet neste ano.

Maju admitiu à Serafina que a repercussão dos comentários incomodou mais que as próprias mensagens:

"Aquilo lá, sinceramente, foi algo que não me tocou. Porque desde que você se entende por negro aqui, sabe que tem preconceito, ouve na escola. (...) Apesar de achar um absurdo, não pega mais na alma de quem já leva há tanto tempo essas porradas."

A jornalista revelou que não integra o movimento negro nem é ativista. Entretanto, ela sustenta que o papel que exerce hoje na televisão brasileira já é propriamente um ato político.

"Acho que já levanto bandeira porque estou no ar no JN. Estou lá numa posição que não é servindo cafezinho, de igual para igual."

Poderosa, hein?!

A reportagem da Serafina na íntegra você lê aqui.

Neste momento, Maju se prepara para a cobertura da COP21, a cúpula internacional do clima que começa nesta segunda-feira (30) em Paris.

Da capital francesa, ela já tem feito vídeos para o JN:

Maria Júlia Coutinho está na sede da COP 21. Governo francês passou simbolicamente a chave do local para a ONU.

Posted by Jornal Nacional on Saturday, 28 November 2015

MAIS MAJU COUTINHO NO HUFFPOST BRASIL:

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: