NOTÍCIAS
26/11/2015 01:17 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Prisão de Delcídio Amaral paralisa votações do ajuste fiscal no Congresso

Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O governo não só se surpreendeu com a prisão do então líder no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), como ficou preocupado com seus planos para este ano. A pauta do Congresso já foi adiada e estará comprometida pelos próximos dias.

De acordo com um petista influente no Senado, mesmo com a prisão de Delcídio, o governo tentou ao máximo manter a sessão do Congresso para não paralisar a votação de matérias relativas ao ajuste fiscal.

No Senado, a próxima sessão está prevista para o dia 3 de dezembro, uma quinta-feira. “O que é temerário. Ninguém sabe nem se essa sessão vai acontecer porque é uma quinta-feira. Os trabalhos ficarão paralisados por mais de uma semana”, emendou o petista.

Na Câmara, a sessão de quarta-feira (25) também foi suspensa e a expectativa e nada seja votado nesta quinta-feira (26). De acordo com o presidente da Casa,Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a sessão foi cancelada por não ter acordo em torno do PL 3123/15, que fixa novas normas para o cálculo do teto de remuneração do servidor público. O texto tramita em regime de urgência e tranca a pauta da Casa.

Ex-ministro da Casa Civil e atual titular da Educação, Aloizio Mercadante reconhece que a pauta do Congresso foi prejudicada com a prisão de correligionário.

Ele defende que, ainda assim, o parlamentares votem as matérias do ajuste, como a ampliação da DRU (Desvinculação de Receitas da União) e a reinstalação da CPMF, o mais rápido possível.

No Senado, porém, não há mais expectativa da votação dessas matérias ainda este ano. Governistas acredita que, com a prisão de Delcídio, a parte mais polêmica do ajuste fiscal, incluindo a repatriação, deverá ficar para 2016.

CAE paralisada

Além da pauta do plenário, os projetos relativos à economia do País que ainda estão em tramitação nas comissões enfrentarão mais um obstáculo. Delcídio era o presidente da principal comissão da Casa, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

É nesta comissão que passam todos os projetos relacionados à economia. Os petistas estão preocupados com a escolha do próximo nome para o colegiado. “Claro que a prisão do Delcídio atrapalha. O partido vai ter que se debruçar sobre um novo nome, o que vai adiar ainda mais as votações que são essenciais para o governo”, disse um petista ao HuffPost Brasil.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: