MULHERES
23/11/2015 21:15 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

O marido não queria, mas a craque do futebol do Irã vai acompanhar sua equipe fora do país

Niloufar Ardalan, 30, a Lady Goal, vai conseguir fazer o que mais gosta: gols. A craque da seleção iraniana de futsal feminino decidiu enfrentar o marido, o jornalista esportivo Mehdi Toutounchi para acompanhar sua companheiras numa viagem ao México.

Em setembro, Niloufar decidiu expor ao mundo sua indignação por precisar se submeter à aprovação do marido para poder viajar. O motivo? O marido acreditava que a atleta deveria permanecer em seu país para acompanhar o primeiro dia letivo do filho.

Ela abriu a boca: “Queria que as autoridades criassem medidas que permitissem às atletas defenderem seus direitos nessas situações”, disse ela à agência de notícias Nasimonline. “Esses jogos eram importantes para mim. Como uma mulher muçulmana, queria trabalhar para a bandeira do meu país ser içada, não queria viajar por luxo ou diversão”.

A boa notícia é de que ela conseguiu a liberação. Graças ao sistema judiciário nacional, a Lady Goal foi liberada para viajar com equipe para o México, onde as iranianas se preparam para competir na Copa do Mundo de Futsal da Guatemala marcada para o final deste mês.

"Minha presença nos treinamentos acontecem por causa da permissão do promotor", disse a atleta.

Ao menos para este torneio, graças à persistência da goleadora, as antiquadas leis patriarcais começam a ser revistas para as atletas. Seja qual for o resultado em quadra, uma coisa é certa: o gol mais bonito já aconteceu.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: