NOTÍCIAS
19/11/2015 19:32 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Franceses fazem tatuagens para nunca esquecer atentados em Paris

Fazemos tatuagens por amor, por convicção, para não nos esquecer. Desde os atentados de 13 de novembro, muitos carregam Paris na pele.

Daphné Bürki, apresentadora do “La Nouvelle Édition”, mostrou ao vivo na TV que tem “Paris” tatuado no braço.

E nas redes sociais, onde tatuadores e tatuados costumam mostrar suas mais recentes obras-primas, estão aparecendo o lema da cidade, o desenho Peace for Paris”, de Jean Julien, e vários outros símbolos da capital francesa.

@Daphne_Burki01 @LeHuffPost minha pequena contribuição

Tatuagem em homenagem ao trágico atentado ocorrido em Paris na sexta-feira 13 de novembro 2015.

En cours... Tatouage en hommage au tragique attentat survenu à Paris se vendredi 13 novembre 2015. Il cible particuliè...

Posted by Art Co'F & Daddda - QG tattoo on Segunda, 16 de novembro de 2015

Em andamento

O objetivo particularmente é o que aconteceu no bataclan durante o show do Eagles of death metal...

É ao mesmo tempo uma homenagem ao rock e também às vítimas... A UMA DAS VÍTIMAS !!!!

Realmente orgulhoso da tatuagem, mesmo que ela não esteja terminada, é uma linda tatuagem, primeiro pensamos e depois no dia nós dois colocamos no papel a montagem e o desenho. Depois, tatuei no antebraço.

Também nos quatro cantos do mundo, como aqui, nas Filipinas:

Ou ali, em Ohio, Estados Unidos:

Just did this tiny little Eiffel Tower. Pray for those affected. #modifiedstudios #eiffeltowel #prayforparistattoo #eiffeltowertattoo

Uma foto publicada por Jay Specimen™[DAPL][CAE]🕕🕕🕕 (@jayspizzy) em

Vários artistas fizeram ilustrações sobre os eventos de 13 de novembro, como as de Florent Levanti, de Paris:

Quelques flashs disponibles chez Tin-Tin tatouages cette semaine !!!

Posted by Florent Levanti on Segunda, 16 de novembro de 2015

By Florent Levanti !

Posted by Tin-Tin Tatouages on Terça, 17 de novembro de 2015

Outros se tatuaram em casa, da maneira mais artesanal:

Réalisé sans trucage VS. Réalisé avec trucage @elenavann #tattoo #paris #fluctuatnecmergitur #havana

Uma foto publicada por Jordi & Martin (@jordi_et_martin) em

Dezenas de símbolos tatuados gratuitamente:

Em Havre, o proprietário do CaféInk ofereceu tatuar de graça o símbolo “Peace for Paris”. “Foi uma maneira de me solidarizar com a dor das pessoas, de prestar uma homenagem às vítimas e de se erguer [contra o terror]”, disse Mathieu Coussin à France 3 Haute Normandie.

Marine fazia parte das 30 pessoas que se tatuaram na tarde de sábado, menos de 24 horas depois dos ataques. Antes do símbolo da paz, ela não tinha tatuagens.

Ela não está, portanto, acostumada com as agulhas, mas decidiu se tatuar “pelas vítimas, as famílias que perderam pessoas queridas”, “para se lembrar desta data para sempre”.

“Poderia ter acontecido com alguém próximo ou comigo, não quero me esquecer jamais que não estamos seguros contra um novo atentando, que temos de aproveitar a vida ao máximo e nos manter fortes e solidários”, disse ela ao HuffPost France.

Não foi por acaso que escolheu fazer a tatuagem no interior do pulso. “Queria que estivesse sempre visível.”

Grégory também participou da operação. Dono de duas tatuagens, ele decidiu pela terceira por causa de sua filha de três anos, “para mostrar que podemos ficar unidos diante de tais atos”, “para mostrar nossa coragem”, “pela França”.

A tatuagem como uma “forma de ação”

Para outros, tatuar lembranças dos eventos de 13 de novembro é uma “forma de ação”. “Não o que mais fazer para ajudar meu país e a população”, nos explicou Marine. “Fiz essa tatuagem por solidariedade e porque me sinto impotente diante da situação”, afirmou Camille.

“A tatuagem é um ritual ancestral, que traduz a principal angústia do homem: sua desaparição e, portanto, sua obsessão de deixar marcas, inclusive em seu próprio corpo”, explica a psicosocióloga Marie Cipriani-Crauste à revista Psychologies. “É essa obsessão que nos separa dos animais.

O homem precisa de referências, e a tatuagem é uma delas.” Desde 13 de novembro, isso é mais verdade do que nunca.

Este artigo foi originalmente publicado pelo Le HuffPost e traduzido do francês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: